Artes visuais

A cultura pop nos traços de Sofia

Jovem desenhista tem trabalhos em diferentes exposições e agora lança linhas de produtos com a sua marca

06 de Julho de 2020 - 12h52 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Sofia desenha desde criança (Foto: Divulgação - DP)

Sofia desenha desde criança (Foto: Divulgação - DP)

Máscaras com os desenhos de Sofia foram os primeiros produtos (Foto: Divulgação - DP)

Máscaras com os desenhos de Sofia foram os primeiros produtos (Foto: Divulgação - DP)

Apesar da pouca idade, Sofia Bachettini Olivé Leite, 16, sabe o que quer: "Quero trabalhar com arte". A resolução que vem em forma de resposta assertiva ao questionamento da reportagem é resultado de bons anos de dedicação e paixão pelo desenho. Um hobby que começa a ganhar reconhecimento pelo talento da desenhista e que tá se transformando até em negócio, a partir da criação de uma linha de produtos chamada Nuvenzinha Cor-de-Rosa.

Sofia desenha desde criança, uma paixão que traz a ela uma sensação de conforto e de paz. "Desenho desde que me entendo por gente", diz.

A arte se apresentou na vida dela como mais uma forma de expressão e também uma maneira de vencer os desafios impostos pela dislexia. "O desenho surgiu como uma alternativa ao trabalho com a dislexia, por isso estamos sempre incentivando", conta a mãe dela, professora universitária Andréa Lacerda Bachettini.

Os desenhos de Sofia apresentam referências culturais contemporâneas que vêm de animações como South Park, e de filmes, a exemplo de Harry Potter. Os personagens criados por ela ainda lembram um pouco os mangás. "Não exatamente, mas acaba ficando parecido", diz ao rebater a ideia da semelhança com os quadrinhos japoneses.

A arte da estudante do primeiro ano do Ensino Médio do Colégio Gonzaga é apresentada por meio de personagens que ela mesma cria ou recria (fan art), a partir de inspirações, vinda de outros artistas. O trabalho de Sofia é caracterizado por ilustrações de meninos e meninas, expressos em muitas cores fortes, com cabeleiras marcantes e olhos esbulhados. Esta última característica traz à memória o trabalho de um dos seus artistas nos quais ela se inspira, o cineasta e desenhista Tim Burton.

A artista diz que ainda não cria para contar uma história, mas confirma que alguns de seus personagens expressam uma personalidade. O desenho a mão com lápis ou caneta nanquim recebe cores e texturas por meio de processo digital.

Individual e coletiva

Agora a obra de Sofia começa a sair de casa. Desde março ela tem 30 trabalhos expostos no Corredor Arte do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Foi sua estreia em uma mostra individual.
Era para ser uma exposição presencial, mas com as medidas preventivas contra a pandemia de coronavírus a visitação foi interrompida. Porém o trabalho segue por lá.

Atualmente a artista tem quadro exposto na loja Aparato, onde integra uma coletiva organizada para a inauguração do novo espaço. Outra novidade é a linha de produtos, que surgiu meio por acaso.

A ideia foi da mãe de Sofia, que experimentou colocar os desenhos da filha impressos em máscaras. A ideia inicial era fazer algo para família e amigos, mas a aceitação foi tão positiva que elas não param de receber encomendas. Na sequência vieram as canecas, tudo impresso em Pelotas mesmo.

Por enquanto a venda é direta com a família, mas os produtos podem ser vistos no perfil do Instagram @nuvenzinha_cor_de_rosa. Sofia ainda não sabe se vai desenhar especificamente para os produtos, nem se vai ampliar a linha. "Vontade eu tenho, mas por enquanto não vamos fazer."

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados