06 de Agosto de 2022 - 05h00

Vi um homem botar duas grandes fortunas fora

Por: Rubens Amador

Parece mentira, mas é verdade. Foi recentemente que se deu o fim da história verídica que vou contar. A fortuna dirigida pelo pai do anti-herói deste drama florescia e só crescia. Os bens eram enormes. Havia muitos prédios importantes como propriedade daquela família. Além de grandes negócios. Terrenos? Vários. Possuía um filho único, e para quem o seu pai cometeu um pecado: nunca o enfatizou ou dividiu com seu filho a direção das empresas. Confiava em outras pessoas. Ao filho era dada uma pasta e ele só pagava nos bancos as duplicatas. Era tudo que sabia dos negócios, a não ser que levava uma vida boa de família rica.

Casou-se. Seu pai presenteou-o com uma casa maravilhosa, com piscina, e muito bem mobiliada. Enorme. Pois bem, certo dia o pai morre e seu filho se vê diante de grandes firmas para administrar. Só que faltava-lhe conhecimentos de como fazer isto. Jamais foi orientado por seu pai, que nele pouco confiava sem razão. Tinha duas filhas _ mas grande herdeiro _, nunca pensou nelas, como vai se ver. Não deu um apartamento para cada uma e até poderia ter passado alguns bens imóveis para elas afim de que jamais lhes faltasse nada. Mas não o fez. E o que vem a seguir é uma série de maus negócios em que só perdia dinheiro.

Desfez-se do negócio principal para um concorrente. E começou a vender os prédios. Ficou em situação difícil. Porém a senhora sua mãe também veio a falecer e ele, de novo, se vê em uma boa situação, pois teria ainda a parte da mãe para levantar-se. Mas outra vez não aproveitou os maus exemplos da primeira vez. E foi vendendo de novo tudo que tinha. Para resumir: como uma de suas filhas é solteira, o último bem que possuía (a casa) já não era mais dele: pertencia a um banco! Só que uma de suas filhas residentes na bela casa era solteira e o banco, por isto, não podia retirar-lhe a casa.

Sua outra irmã era casada e separada do marido. Pois esta infeliz moça cai na droga e passa a dormir na rua, dado a que sua irmã não a podia deixar entrar em casa, pois rouba coisas de valor para sustentar seu vício na pedra. Realmente é um drama horrível.

A mãe das meninas, ao perceber a triste situação em que o seu marido deixara a família, entra em profunda depressão e adoece de um câncer, morrendo antes dos 50 anos. O pai das moças adoece do fígado e tem a metade do mesmo retirado. Meses depois a doença volta e ele também acaba morrendo, moço, deixando uma esteira de infelicidades no seu percurso. Dizem que alguns ex-funcionários seus progrediram muito e um deles até tornou-se fazendeiro.

Perguntei a um primo desse homem que não soube administrar-se: "Como o fulano, que não era mulherengo, não jogava e não bebia, chegou a este ponto?". Ele olhou para mim, e como sabia que eu conhecia parte da história, apenas respondeu-me: "Te enganas. Ele bebia! Foi encontrada em sua enorme garagem em sua casa mais de vinte litros de whisky. Acredito que ele bebia um litro por dia para suportar o seu passado!".

Comentários Comente

Diário Popular - Todos os direitos reservados