05 de Março de 2022 - 07h34

Iniciativas jornalísticas digitais são maioria no Brasil

Por: Diário Popular

Não importa para que lado você olhe, o digital está lá te acompanhando. Em um cenário dominado por inovações tecnológicas, diferentes setores precisam se adaptar. 

O jornalismo vem tentando transicionar para o digital há um tempo, e essa parece ser a solução para muitos problemas enfrentados pela indústria da informação.

De acordo com o Atlas da Notícia, divulgado pelo Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), pela primeira vez os jornais digitais se tornaram a maioria dos negócios jornalísticos no Brasil. 

Atualmente, o país possui 4.670 iniciativas jornalísticas disponibilizadas na internet - um crescimento de 206% comparado a 2017. 

No Rio Grande do Sul há  348 iniciativas jornalísticas digitais ativas. Elas incluem rádios, jornais e blogs. Parte desse número já está ligada a veículos tradicionais, como rádios locais ou jornais impressos. Contudo, também há iniciativas de jornalismo alternativo.

Sul do Brasil diminui desertos de notícia

O crescimento de iniciativas jornalísticas disponibilizadas no digital colaboraram para a diminuição de desertos de notícia no sul do Brasil. Os desertos de notícias dizem respeito a lugares - geralmente municípios - onde não há veículos locais de imprensa. 

Conforme dados do Atlas de Notícias, o Rio Grande do Sul foi o estado da Região Sul do Brasil  que mais perdeu desertos de notícias, totalizando 58, ficando na frente do Paraná com 31 e de Santa Catarina com 12. 

A proporção de municípios que são desertos é constante nas três UFs, girando entre 45% e 48%. Aliás, é a primeira vez que a região Sul demonstra uma média de desertos abaixo de 50%, apontou a pesquisa.

Região Sul é a segunda com mais veículos de comunicação

O sul do Brasil é a segunda região que possui mais veículos de comunicação, com 3478 veículos, compondo 25% do total. 

Além disso, dados do levantamento apontam que, mesmo com a pandemia e a crise econômica, o jornalismo local continua resistindo no sul. 

Ainda de acordo com a pesquisa, as iniciativas digitais também crescem, principalmente as versões online de rádios e jornais impressos. 

Desafios a serem superados

Apesar do crescimento do jornalismo digital no sul do Brasil, ainda há muitos desafios a serem superados e muito trabalho a ser feito. 

Por exemplo: diversos veículos jornalísticos disponíveis online apenas replicam o conteúdo que publicam no rádio ou no jornal impresso, sem a devida adequação que o digital requer. 

Outra situação comum são as emissoras de rádio que possuem seções de notícias em seus sites, mas que, de modo geral, não são atualizadas com frequência. 

Embora exista uma ideia constante de que o ‘futuro’ e a sustentabilidade estejam no online, a execução desta no interior ainda é iniciante, em muitos casos, explica o Atlas da Notícia. 

Com a internet alcançando proporções inimagináveis, o jornalismo necessita acompanhar o ritmo, levando em conta que novas gerações de consumidores que são nativos digitais também estão entrando no jogo e querem consumir informação de qualidade.

Em resumo, para superar tais desafios, os veículos jornalísticos precisam investir em tecnologia e garantir que a transição para o digital seja realmente efetiva.

Comentários Comente

Diário Popular - Todos os direitos reservados