16 de Outubro de 2021 - 10h37

Iniciativa jornalística do Reino Unido quer acabar com a desigualdade na educação

Por: Diário Popular

O projeto, chamado Speakers for Schools, visa resolver o problema dando aos jovens menos favorecidos o acesso às mesmas redes usadas pelas escolas mais bem pagas do Reino Unido, por meio de palestras inspiradoras e oportunidades de empregos.

Segundo o site InYourArea, a iniciativa surgiu a partir da constatação de que, com a pandemia de COVID-19, as oportunidades relativas à experiência de trabalho presencial diminuíram significativamente, impedindo os jovens de explorar novos caminhos de carreira ou de se conectar diretamente com os empregadores.

Atualmente, a instituição de caridade trabalha com mais de 700 empregadores-líderes, os quais proporcionam valiosos insights sobre visão de carreira aos jovens participantes.

Reforço de peso

Recentemente, a Speaker for Schools firmou uma parceria com a Reach, a maior editora comercial e o nome por trás de algumas das mais expressivas empresas de notícias do Reino Unido. 

Entram nessa conta 9 jornais nacionais importantes, mais de 110 títulos regionais e mais de 80 marcas online, os quais garantem à empresa a maior audiência entre qualquer editora comercial de notícias, seja nacional ou regional.

Como resultado desta aliança, os alunos terão acesso direto a talentos jornalísticos de destaque, obtendo assim uma compreensão sobre como funciona o mundo das notícias.

O que os alunos irão aprender

A experiência de trabalho cobrirá tudo, desde narração de histórias (storytelling), conteúdo de mídia social até criação de conteúdo de vídeo. E o mais legal é que os jovens aprenderão estas técnicas a partir do contato direto com profissionais de jornais renomados como Mirror, the Express, OK !, Manchester Evening News, WalesOnline e Daily Record, entre outros. 

Além de obter acesso a uma visão privilegiada do mundo do jornalismo, os alunos ainda vão aprender:

  • Os principais critérios para contar uma boa história - os estudantes vão assistir e participar de uma conferência editorial ao vivo de um dos maiores jornais nacionais, enquanto discutem as principais notícias do dia.
  • Diferentes maneiras de contar histórias - de conteúdo de mídia social a reportagens de revistas, jornalismo de dados e vídeos.
  • Como conduzir uma entrevista - os alunos aprenderão sobre a preparação e as técnicas para entrevistas antes de testar suas habilidades diante de uma celebridade.

Como vai ser o treinamento

A empreitada durará dois dias, em 26 e 27 de outubro, com jornadas de 5 horas em cada data.

O programa é aberto a alunos de 14 a 16 anos, interessados em contar histórias, seja por meio da palavra escrita, imagens, vídeo ou animação.

Os estudantes podem escolher participar dos seguintes departamentos:

Workshop, Palavra & Imagem, Imprensa & Marketing, Notícias, Mídia, Editorial, Mídia Digital & Publicação, Digital & Online, Criativo, Conteúdo e Comunicações.

Seleção para o treinamento

Para ingressar no programa, os candidatos tinham que responder às seguintes perguntas:

  • Pelo que você é apaixonado e por quê?

  • Escreva uma manchete de jornal sobre sua semana.

  • Em que fonte de notícias você mais confia e por quê?

__

Analisando de forma bastante superficial, parece que a profissão de jornalista não figura entre as mais aspiradas pelos adolescentes brasileiros. Talvez pelos desafios enfrentados - leia-se censuras, perseguições, falta de infraestrutura ou baixos salários -, a arte de noticiar não seja tão atraente.

Em contrapartida, ao envolver nomes de peso do segmento, talvez a falta de interesse na profissão seja substituída pela vontade de participar de algo associado a “estrelas “ do jornalismo.

E você? O que acha dessa iniciativa? Será que, no Brasil, um projeto como esse teria adesão massiva de estudantes? 

Admitimos que a ideia é nobre e que, se executada com precisão, pode diminuir a desigualdade no nível de educação entre os mais abastados e os desfavorecidos. 

Comentários Comente

Diário Popular - Todos os direitos reservados