20 de Novembro de 2021 - 10h32

Estudo confirma encolhimento do jornal impresso e crescimento do digital

Por: Diário Popular

"Jornais têm alta de 6,4% no digital e queda de 13,6% no impresso em 2021", estampa a matéria publicada no site do Poder 360.

Os números são provenientes de um estudo do Instituto Verificador de Comunicação (IVC) e retratam o panorama medido entre dezembro de 2020 e setembro de 2021.

A matéria do Poder 360 selecionou 10 veículos para a sua análise: Folha de S.Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, Super Notícia (MG), Zero Hora (RS), Valor Econômico, Correio Braziliense (DF), Estado de Minas, A Tarde (BA) e O Povo (CE).

Nenhuma empresa deste grupo obteve aumento na circulação de exemplares impressos no acumulado dos 3 primeiros trimestres de 2021.

Já as edições digitais alcançaram crescimento de 6,4% no recorte de tempo entre dezembro de 2020 e setembro de 2021.

A Folha, manteve a liderança nas assinaturas digitais pagas, sendo seguida de perto pel'O Globo - o crescimento foi de 8,9% e 14,5% neste ano, respectivamente.

O preço do papel

Para completar o cenário de queda do impresso, o preço do papel disparou. 

"É uma relação recíproca: à medida em que os jornais deixam o impresso, migram para o digital ou até mesmo encerram as atividades, as fábricas de papel, que têm máquinas de milhões de dólares, cogitam fechar", cita a matéria do Poder 360.

Um artigo da revista britânica The Economist destaca que os jornais europeus terão que pagar preços de papel de jornal de 50% a 70% mais altos no 1º trimestre de 2022 frente ao mesmo período de 2021.

Nos Estados Unidos, como os contratos são fechados mensalmente, e não semestralmente, o impacto foi gradual, mas não por isso menos assustador: estamos falando um uma suba de 20% a 30%, em relação a 2020.

Para algumas empresas de comunicação, os aumentos de preços [do papel de jornal] vão acabar com os lucros. Precisarão fazer mais reestruturações, envolvendo demissões”, diz a matéria do Economist.

Como anda o Diário Popular

Como o jornalismo não é uma ilha alheia às mudanças de hábitos de consumo, um comportamento parecido ocorre com o DP.

Nossa atual circulação impressa não se compara aos tempos áureos do jornal de papel, mas, ao mesmo tempo, não declina com os mesmos percentuais apresentados pelo estudo. Os números são menores, porém estáveis.

Já a performance digital vai de vento em popa. Equanto estas linhas são escritas, é provável que o nosso portal de notícias esteja alcançando a marca de 6 milhões de acessos (repetindo o sucesso alcançado em 2020).

E assim seguimos, atentos aos sinais e comprometidos com a nossa vocação: sermos o porta-voz dos interesses do povo da Zona Sul - seja no impresso ou no digital. 

Comentários Comente

Diário Popular - Todos os direitos reservados