Editorial

A multa de trânsito virá do céu

02 de Fevereiro de 2018 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) abriu caminho para uma nova forma de fiscalizar e autuar os motoristas no Brasil. A pouco mais de um mês _ iniciou em 18 de dezembro do ano passado _ o órgão passou a utilizar drones no controle das vias urbanas.

De acordo com o órgão, nesse início o equipamento está sendo empregado nas principais vias urbanas da capital e nas proximidades de eventos de grande porte, onde haja a necessidade de controle de tráfego. Elas acontecem diariamente e são coordenadas pelas equipes da Unidade de Operação Aérea (Uopa), treinadas e certificadas junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar os aparelhos.

Os drones do Detran-DF ainda não estão aptos a multar, porém, a operação dos equipamentos será feita por agentes de trânsito que atuarão em dupla ou trio e poderão abordar e notificar o  condutor infrator. O uso da ferramenta possibilitará uma ampliação das demandas de fiscalização e engenharia, e trazer mais segurança aos usuários, projeta o órgão.

Um dos principais objetivos nesse começo é monitorar e identificar aqueles que usam o celular enquanto dirigem, embora outras situações também possam ser flagradas, como o desrespeito ao pedestre na faixa, estacionamento irregular e circulação em locais proibidos. São dois os equipamentos usados, adquiridos através de doação da Receita Federal.

Segundo a Confederação Nacional do Trânsito (CNT), os drones já flagraram em pouco mais de um mês 382 condutas que contrariam o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Foram 132 casos de motoristas que não usaram a seta para mudar de direção; 90 de motoristas que usavam celular enquanto dirigiam e 70 de não uso do cinto de segurança. As outras infrações foram de desrespeito à faixa de pedestres, avanço de sinal vermelho, troca de condutor e evasão de blitz.

Todos os motoristas flagrados pelos drones não serão multados agora, mas, no futuro, reconhece o Detran-DF, a aplicação da penalidade será implementada. Antes, o Departamento pretende instalar placas de videomonitoramento a fim de dar transparência ao procedimento.

O modelo de Brasília, caso dê resultados, deve ganhar força em outras regiões do Brasil, estados e municípios, e levar o país a outro nível de controle do que acontece hoje em ruas, avenidas e rodovias.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados