Editorial

Banda larga irá avançar nas cidades

18 de Janeiro de 2018 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Ainda esse mês o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) fará o anúncio das primeiras 300 localidades que serão conectadas pelo programa Internet para Todos. O convênio permitirá instalar a banda larga em localidades onde hoje não existe conexão.

A parceria fará com as cidades contempladas recebam uma antena e sejam contempladas com o serviço através do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), lançado em maio de 2017, e do programa Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac).

De acordo com ministro Gilberto Kassab, atualmente 70% dos brasileiros acessam a internet regularmente, enquanto 30% estão fora da rede, o que representa 60 milhões de pessoas - e dessas, pelo menos 20 milhões tem um celular, mas não podem usá-lo onde moram. No Piauí, por exemplo, o Governo Federal já anunciou o atendimento a populações de 128 municípios, das áreas urbana e rural.

Mesmo com a defasagem, o Brasil ocupa hoje a quarta posição em número absoluto de usuários de internet, atrás apenas dos Estados Unidos, da Índia e da China, apontou o relatório Economia da Informação 2017: Digitalização, Comércio e Desenvolvimento, da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

Para tornar o projeto viável foram abertas as inscrições às empresas interessadas em participar do programa. Desde o dia 8 de janeiro as companhias podem encaminhar um documento à Secretaria de Telecomunicações do MCTIC (Setel), indicar a localidade, demonstrar capacidade para atendê-la e apresentar proposta de velocidades, cronograma, estimativa de preço, tecnologia e serviço a ser ofertado, além de comprovar que possui os requisitos previstos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para prestar o Serviço de Comunicação Multimídia.

No caso do município contemplado, caberá a ele selecionar um terreno para receber a instalação do equipamento pela empresa credenciada, garantir a segurança dessa área e também arcar com as despesas de energia elétrica consumida pela antena.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados