Comentário

A conclusão da duplicação da BR 116 e a necessidade de unidade regional

03 de Janeiro de 2018 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Zelmute Marten
Jornalista. Chefe de Gabinete do deputado estadual Zé Nunes

No encontro realizado em Brasília no dia 19 entre os deputados federais Afonso Hamm, Cajar Nardes e Henrique Fontana, com a presença da senadora Ana Amélia Lemos, o anfitrião, secretário executivo do Ministério dos Transportes, Fernando Melro Filho, diante da solicitação dos parlamentares para remanejamento na ordem de R$ 100 milhões para as obras de conclusão da duplicação da BR-116, indicou que o caminho deverá ser o estabelecimento de um consenso entre os integrantes da bancada gaúcha no Congresso Nacional avalizando este pleito, ou mesmo a coleta de assinaturas em documento que será encaminhado pelos presentes para obtenção de signatários que representem a maioria da composição legislativa gaúcha no parlamento nacional para a possibilidade do deferimento da solicitação em tela.

Saliento este acontecimento como uma nova demonstração, em minha ótica, de que somente uma ampla e continuada mobilização de caráter suprapartidário que unifique a ação política e institucional dos atores sociais relevantes deste território, com destaque para os seus parlamentares de âmbito estadual e federal, prefeitas e prefeitos, vereadores, líderes empresariais, entidades da sociedade civil, meios de comunicação e a comunidade em geral, poderá alavancar a força política necessária para que, diante do quadro de significativos contingenciamentos do orçamento público brasileiro, a luta pela conclusão da duplicação da BR-116 possa ter êxito num breve espaço de tempo. Há consenso no entendimento de que se trata da obra atual de infraestrutura mais importante em curso no nosso Estado, na rodovia campeã nacional em acidentalidades com colisões frontais, corredor de exportação da produção primária, aspectos estes que reforçam a relevância da atuação coletiva para garantir a sua conclusão, ainda que, infelizmente, se perceba alguns comportamentos que caminham na direção de certo isolamento.

Novamente expresso estes argumentos, pois considero que se fosse possível alcançar este grande objetivo através de esforços individuais ou de uma específica agremiação partidária, isto já teria ocorrido. Ou seja, parece-me evidente que todas as forças políticas, líderes que atuam na região, possuem um elevado nível de certeza de que a conclusão da obra é imprescindível. Porém, para tanto, necessariamente vamos precisar alterar uma tradição que caracteriza a nossa região, de alta fragmentação e reduzida capacidade de integração, pois estamos diante de um cenário econômico recessivo, com o país convivendo com o cume da contradição da lógica macroeconômica de infinitas necessidades para limitados recursos, onde o nosso objetivo precisa ser hierarquizado no âmbito do Orçamento Geral da União, está, como uma obra de grande relevância em relação a outras prioridades do Rio Grande do Sul e dos demais estados da federação.

Portanto, para 2018 necessitamos focar a nossa estratégia na mobilização conjunta, permanente, realização de reuniões de trabalho com participação de todos os envolvidos, criando espaços de intervenção do conjunto da sociedade para exigir a priorização desta obra, buscando promover iniciativas inovadoras, criativas, que nos permitam a capacidade exitosa de, conjuntamente, disputar a priorização desta obra no contexto de todas as demais que são geridas no âmbito do Ministério dos Transportes e do Dnit. Desta forma, é muita bem-vinda a iniciativa dos parlamentares citados no início deste texto. Vamos precisar nos dedicar a auxiliar a coleta de assinaturas neste documento no retorno dos trabalhos legislativos, assim a Frente Parlamentar em Defesa da Conclusão da Duplicação da BR-116 da Assembleia Legislativa se posicionará pela convergência e pela unidade de esforços para esta realização.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados