Artigo

Eu te anuncio nos sinos das catedrais

06 de Dezembro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Larissa Leão, escritora

No último Domingo peguei um Uber para ir da rodoviária à minha casa. Nos primeiros segundos de corrida, o motorista - aba reta na cabeça, tatuagem no braço, Shakira no rádio - justificou: eu gosto do que faço; cada pessoa que eu transporto é uma história diferente que eu carrego.
Fez alguns questionamentos sobre mim e desatou a me contar a história dele.
"Vive a loucura que tu quiser na tua vida, mas não deixa de viver a maior: ter um filho. Há poucos meses nasceu o meu e, vou te dizer... este ano eu tive os dois melhores dias da minha vida. O primeiro foi quando eu escutei o coração dele pela primeira vez, o segundo foi quando ele nasceu. Meu filho, minha mulher, eu. Choramos. Cara, eu chorei."
Chorei também.
Chorei pela emoção de ouvir ele contar o nascimento do filho como um fã que conta o final da sua série preferida.
Como um fã fanático e totalmente surdo para os spoilers.
Nove meses para planejar o roteiro, mudar o figurino, correr atrás do melhor cenário, fechar contrato com os atores.
Ansiedade a cada temporada. Noites sem dormir.
E, enfim, o episódio que mudará a vida dos telespectadores para sempre está pronto para dar à luz.
Nasceu.
E se surpreendeu com o final quem quis.
Os spoilers estavam ali (sem alerta) o tempo todo.
A vida dá spoilers o tempo todo.
A vida dá sinais auditivos o tempo todo.
A vida faz barulho.
Antes do meu amigo motorista ver o rosto do seu filho, ele já tinha escutado o som que o menino era capaz de fazer no ventre, correndo dentro da barriga.
Antes do show dos fogos de artifício, vem o barulho do estampido. Senta que lá vem.
O galo canta antes do dia nascer feliz e o mundo inteiro acordar.
O parabéns vem antes do bolo.
O sino toca antes do padre rezar a missa.
E eu sei que a minha mãe está chegando pelo som que o motor do carro faz. Mas, se ela vier a pé, eu vou saber também - pelo barulho que a Terra faz em resposta a força dos pés dela.
Buzina, gemido, rufar dos tambores, suspiro.
A vida dá spoiler pra quem tem ouvido atento. A vida canta spoilers na voz de Alceu Valença: anunciação. Tu vens, tu vens, eu já escuto teus sinais.
Mas não há nada de errado em ser um fã fanático e totalmente surdo para os spoilers. Aliás, não convém fazer escândalo de início. Não há problema algum em não ouvir os sinais; inclusive, é saudável ter um pouco de cera no ouvido.
Um susto lá que outro faz bem pra saúde - dá ibope pra série.
A surpresa dá ipobe pra vida.

 


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados