Editorial

De cara feia para 2018

05 de Dezembro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Duas pesquisas apresentadas pelo Ibope Inteligência mostram que o brasileiro não encara o próximo ano com otimismo. Ao contrário, espera que principalmente as dificuldades econômicas continuem.

Na primeira pesquisa, intitulada Barômetro do otimismo e realizada em novembro, o sentimento positivo em 2017 foi revertido para 2018. Agora, 41% acreditam que os próximos 12 meses serão melhores e apenas 21% esperam um ano de maior prosperidade econômica. A expectativa em relação à economia é a mais baixa desde 2010, início da série histórica. No ano passado, 68% dos brasileiros acreditavam que 2017 seria melhor do que 2016 e 41% achavam que haveria prosperidade econômica na comparação ao ano anterior.

Além disso, 29% estão pessimistas em relação a 2018, bem acima dos 17% verificados um ano atrás, e 28% acreditam que será um ano de dificuldade econômica (eram 23% em 2016). Outros 27% não estão nem otimistas nem pessimistas, também acima dos 11% do ano passado, e 48% acham que a economia permanecerá igual, 16 pontos percentuais a mais do que em relação ao próximo período.

Os brasileiros também não estão conseguindo poupar. A pesquisa mostra que 88% não conseguem guardar dinheiro. E dos 12% que têm o hábito ou investem nisso, 40% o fazem com o equivalente a um mês de renda.
Mesmo assim, metade da população (53%) afirma estar feliz. Bem abaixo, entretanto, ao observado em 2012, quando a satisfação com a vida chegou ao seu maior nível, de 81%.

Já o segundo estudo mostra o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) com recuo de 0,2% na comparação com outubro. A confiança do consumidor permanece em patamar ruim, 2,1% abaixo do registrado em novembro de 2016 e 6,6% inferior à média histórica. A manutenção do pessimismo do consumidor indica que a recuperação da demanda nos próximos meses tende a ser apenas moderada.

Um dos poucos dados positivos identificados é o índice de compras de bens de maior valor, com expectativa mais favorável para os próximos meses. Já o índice de expectativa de desemprego mostra expectativas ligeiramente mais otimistas que em outubro. (Com informações do Ibope Inteligência)



Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados