Editorial

A colônia de Pelotas sonha

19 de Janeiro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Se os governos de Fetter Júnior (PP) e Eduardo Leite (PSDB) ficaram marcados por obras estruturantes importantes nos bairros, a gestão de Paula Mascarenhas (PSDB) acena com uma marca importante, embora esteja apenas nos seus primeiros 19 dias. Ainda é cedo para sonhar, mas os moradores e trabalhadores da zona rural certamente gostaram do que ouviram esta semana: projetos que podem levar ao investimento de até 40 milhões de dólares nas colônias.

Os números podem ser ainda mais interessantes na simples conversão da moeda. São nada menos do que R$ 128 milhões que chegariam na forma de obras.

O projeto amplo das ações previstas para a zona rural foi aberto ao Diário Popular pelo novo titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Jair Seidel, e publicado em reportagem especial na edição da última terça-feira.

As propostas de desenvolvimento contemplam infraestrutura, incentivo ao turismo rural e à agroindústria, capacitação de todos os envolvidos no meio, entre servidores e agricultores, e atividades esportivas e de lazer. A fonte já está definida. Trata-se da Fonplate, organização internacional que financia projetos de desenvolvimento para a Bacia do Plata.

Seidel conduziu na gestão de Eduardo Leite os grandes projetos e tem experiência para dar segurança ao que diz: “Vou fazer o projeto, vou aprovar e vou conseguir”, declarou ele ao Jornal, referindo-se à obtenção da verba, à liberação e à execução das obras.

Assim como aconteceu com os grandes projetos urbanos, as famílias da zona rural terão de ter paciência. Entre o anúncio e a realização costuma existir um grande intervalo de tempo. Nesse caso, a burocracia é a maior barreira. Nada terá início em 2017, adiantou Seidel.

O colono, é claro, não precisa da prefeitura para dizer o que é prioridade. Todo trabalhador rural sabe como o interior do município funciona e quando para. Transporte - leia-se estradas em boas condições - é essencial. Assim como luz elétrica, saúde e educação para os filhos. Quatro pilares essenciais para manter milhares de pessoas em uma área importante de Pelotas, seja pela agricultura e por tudo o que vem dela ou pela riqueza cultural e turística que oferece. Se uma revolução está a caminho, o tempo dirá.


Comentários


  • Não há comentários, seja o primeiro a comentar!

Diário Popular - Todos os direitos reservados