Estilo
Crônica

A caçula

14 de Abril de 2018 - 06h03 Corrigir A + A -

Por Lisiani Rotta

- O que fazes no meu quarto, Cacá?

- To te esperando.

- Tá bom. Vou fingir que acredito.

- Sério! Podes me revistar se quiseres.

- To sem tempo. Preciso me arrumar.

- Posso ficar aqui vendo tu te arrumares?

- Não. As gurias já tão chegando. Não quero irmã pequena na minha cola, ouvindo as minhas conversas.

- Por quê? Adolescentes falam coisas proibidas?

- Assuntos nossos. Impróprios para crianças.

- Sei. Tipo aquele assunto do Cadu?

- Que assunto?

- Eu ouvi quando tu contaste pra Bel que ele roubou um beijo teu.

- Não repita isso! Estás ouvindo? Nunca mais!

- Aiiii!!!! Não precisa me beliscar!

- Cacá, fala pra mim! Qual o teu maior medo, o teu pior pesadelo?

- Que nasça em mim um bigode igual ao teu.

- O quê???

- Acho que se me nascesse um bigode igual ao teu eu me matava.

- Que bigode? Onde tu estás vendo bigode?

- Eu não to vendo porque tu arrancas, mas eu sei que tu tens. Deus me livre! Eu quero ser uma mulher normal.

- Eu sou alguma anormal, por acaso?

- Se mulher de bigode fosse normal, mulher barbada não era atração de circo.

- Então fica ligada porque se tu abrires a boca pra falar do beijo do Cadu vais te acordar com um bigode maior que o da Frida Kahlo. E olha que praga de irmã pega!

- O bigode dela é maior que o teu?

- O meu não existe, engraçadinha!

- O Cadu sabe que tu tens bigode?

- Já não falei que tu estás proibida de tocar neste assunto?

- Qual assunto? O do beijo ou o do bigode?

- Eu nem sei por que eu me gasto te pedindo. Tu não te aguentas. Se falares em qualquer um dos dois já sabes o que vai te acontecer.

- Credo! Eu não vou contar. Eu juro!

- Tens certeza?

- Certeza, certeza, não.

- Como não? Tu juras e não tens certeza?

- Eu não sei se eu quero ser cúmplice de traição.

- Que traição? Eu não tive culpa. Foi um beijo roubado.

- Se tu não tens culpa, por que não contas pra Camila?

- Pra não magoá-la.

- Conta com jeito. Ela precisa saber que ele é um safado.

- Ela é louca por ele.

- Precisa deixar de ser.

- Olha aqui, sua fedelhinha! Não te mete nos nossos assuntos!

- Ouve!!! A campainha!!!

- Ai, meu Deus!!!

- Conta com jeito! Ela vai te agradecer.

- Oi Cacá! Oi Paty! ...Quem vai agradecer?

-Oi Camilaaa!!! -responde Paty, sem graça, enquanto Cacá cobre a boca com as mãos fazendo sinal de que não pode falar.

- O que houve Cacá? Dor de garganta?

- Cacá, agora, deu pra inventar coisas. Sabe como é, muito tempo em frente à TV!

- Não precisa mentir pra ela, Paty. Eu já jurei que não vou contar.

- Contar o quê?

- Cacááá!!!! Hora de sumir! Tens três segundos!

- Tadinha Paty! Deixa ela! O que foi Cacá? Aconteceu alguma coisa?

- Cacááá!!!!! - berra Paty, descontrolada.

- O que é isso Paty? Estão escondendo alguma coisa de mim?

- Sim. - responde Cacá - Mas, eu só posso contar se a Paty deixar, senão vai me acontecer uma coisa horrível.

- Pode contar Cacá! Se a Paty não deixar ela perde a amiga.

- O Cadu é gay.

- Gay? De onde tiraste essa ideia, criança?

- Homem que beija mulher de bigode só pode ser gay.

- Eu não tenho bigode!

- Mas, a Paty tem.

 

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados