Estilo
Crônica

2018 chegou

30 de Dezembro de 2017 - 06h00 Corrigir A + A -

Por Lisiani Rotta

Amo a virada do ano. Hora de faxinar a casa, a vida, a alma. Hora de remexer as gavetas, de doar o que não usamos, de definir as prioridades, de nos reinventarmos, de recomeçar. Hora de nos perdoarmos e nos darmos uma nova chance. Hora de valorizamos as nossas conquistas, de aprendermos com as nossas dores e derrotas.

Se fizermos uma retrospectiva do ano que passou, provavelmente nos virão à mente as nossas dificuldades, as nossas falhas, os nossos erros. São eles que roubam os nossos pensamentos, tomam o nosso tempo, consomem as nossas energias e impedem a nossa paz. No entanto, também são eles os responsáveis pela nossa superação. A dificuldade nos ensina, nos transforma, nos fortalece.

2017 não foi um ano fácil. Foi um ano de extremos. De esperança e desilusão, de amor e ódio, de justiça e corrupção, de força e impotência. Foi o ano de aprender sobre o poder do querer. Nós, realmente, podemos. Cientes, é claro, de que não há luta fácil. E que o nosso maior obstáculo está, muitas vezes, dentro de nós.

Desejo que 2018 seja um ano melhor para todos. Um ano de amor, paz e harmonia. Um ano de reflexão e entendimento. Que os astros se alinhem a nosso favor e nos tornem mais humanos, mais justos, menos individualistas. Que o Brasil, enfim, se liberte dos mil tentáculos que o imobilizam e passe a ser um país de todos, sem conluios e nada a temer.

Que as nossas experiências nos façam mais sábios. Que a palavra do ano que inicia seja Paz.
Feliz ano Novo a todos!

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados