Estilo
Literatura

Talento entre dois mundos

Depois do sucesso em Portugal, escritor e dramaturgo brasileiro Fernando Castro lança sua mais recente obra literária, O homem no deserto

03 de Dezembro de 2017 - 08h00 Corrigir A + A -
Fernando viajou o mundo em busca de  novas histórias. (Foto: Divulgação - DP)

Fernando viajou o mundo em busca de novas histórias. (Foto: Divulgação - DP)

 (Foto: Divulgação - DP)

(Foto: Divulgação - DP)

O homem no deserto é o segundo livro do escritor brasileiro Fernando Castro e narra a história de um homem aos seus 40 anos atormentado pelas decisões que determinaram seus dias atuais (ele é casado há dez anos com uma mulher e mantém um relacionamento extraconjugal com um rapaz mais novo).

Castro é escritor, poeta, dramaturgo e ator. Em 2016, publicou no Brasil seu primeiro romance, Alcateia no jardim. Amante das artes, sempre viajou o mundo em busca de novas histórias e vivências para traduzir seus sentimentos em palavras e em sensações que pudessem criar para si e para o mundo um universo rico em significados e novas possibilidades de transformações e aprendizado.

Escrita castreana
Atualmente, mora em Lisboa, onde prossegue seus estudos de literatura italiana e seu trabalho como escritor, tendo lançado recentemente em Portugal sua segunda obra. “Dentro da nova safra de escritores de Língua Portuguesa, Fernando Castro traz não só um cenário de esperança, mas também de perseverança no que se refere à literatura contemporânea. Audaz na busca da sua expressão literária, consegue captar a atenção do mais exigente leitor. A literatura nacional está bem entregue nas mãos de escritores como o Fernando Castro”, afirma Luís Fonseca Raimundo, editor executivo da Chiado sobre o trabalho de Castro.

Abordando temas polêmicos e, sobretudo, evidenciando todas as nuanças psicológicas pertinentes ao espírito humano por meio de seus personagens de maneira visceral, o arquiteto, ex-diretor e atual conselheiro do Museu de Arte de São Paulo (Masp), Luiz Pereira Barretto, identifica na escrita de Fernando Castro um novo estilo que denomina como castreano: uma maneira inédita de construção da linguagem, com um ritmo alucinante que absorve o leitor para a história narrada.

“O estilo castreano descreve com potência máxima a expressão das emoções, o motor da vida demonstrado de forma crua. O erotismo, o profano, as taras, aberrações sempre presentes nas obras lhe garantem o adjetivo de esteticamente realista, denunciando a sordidez da nossa sociedade”, afirma Pereira Barretto.

Seleção
Recentemente, Fernando foi selecionado para integrar o oitavo volume da Antologia de poesia portuguesa contemporânea - Entre o sono e o sonho, publicado em setembro pela editora Chiado, em Portugal.

Selecionado entre cinco mil poemas, o conteúdo faz parte da antologia de dois volumes que busca, de maneira plural, representar o trabalho e a diversidade dos escritores portugueses contemporâneos, reunindo mais de mil poetas.

Sinopse
Um homem aos seus 40 anos, ainda atormentado pelas decisões que determinaram seus dias de hoje, ao perceber os indícios de que uma grande maldição pode estar presente em sua vida, parte em busca de si mesmo para retomar algo que há muito estava perdido. Numa aventura de tirar o fôlego, sua jornada para o deserto do Atacama vai aos poucos se transformando numa aventura épica sem precedentes, onde, um a um, os fantasmas do passado vão sendo os coautores dessa história fantástica. Joseph nunca mais será o mesmo, assim como também todos os que o cercam, transformando intimamente cada um dos elos com o mundo ao seu redor.

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados