Estilo
Literatura

Matheus Ueta estreia como escritor

Aos 13 anos, com uma novela, dois filmes e três musicais no currículo, o ator se aventura no mercado literário

01 de Outubro de 2017 - 14h00 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

No livro ele é um garoto nerd que chega à adolescência com problemas para se enturmar na escola, e que com sua turma “invisível” descobre um segredo familiar do passado que os leva a viver situações eletrizantes, viajando para várias partes do mundo em uma gerigonça criada por seu avô, Ueta Sam (Foto: Divulgação - DP)

No livro ele é um garoto nerd que chega à adolescência com problemas para se enturmar na escola, e que com sua turma “invisível” descobre um segredo familiar do passado que os leva a viver situações eletrizantes, viajando para várias partes do mundo em uma gerigonça criada por seu avô, Ueta Sam (Foto: Divulgação - DP)

Matheus Ueta, que ficou conhecido por interpretar o personagem Kokimoto, em Carrossel, e apresentar por três anos o matinal Bom dia & cia, na mesma emissora, cresceu, ganhou os palcos vivendo Peter Pan em uma produção musical e agora prepara-se para assumir o maior desafio da sua carreira até aqui. Com 13 anos e novo visual - que nem de longe lembra o japinha atentado das novelas - o ator mirim lança, em 8 de outubro, seu primeiro livro.

Ao contrário de outros autores de sua idade e colegas de elenco, o ator não quis apostar em uma biografia ou livro de fã com histórias de bastidores e fotos. Matheus, que tem diversas aventuras rascunhadas, resolveu colocar uma delas no papel e se tornou personagem-autor em Os invisíveis e o amuleto da serpente.
Ficção e realidade se confundem nesta aventura que tem vários pontos do mundo como roteiro. No livro ele é um garoto nerd que chega à adolescência com problemas para se enturmar na escola, e que com sua turma “invisível” descobre um segredo familiar do passado que os leva a viver situações eletrizantes, viajando para várias partes do mundo em uma gerigonça criada por seu avô, Ueta Sam.

A obra trata também de algumas preocupações do autor, como incluir no início de cada capítulo introduções com suas pesquisas pessoais sobre curiosidades, lugares visitados e animais exóticos, para que os leitores possam se inteirar dos assuntos que serão abordados. Algumas dessas explicações terão conteúdo interativo e poderão ser “desbravadas” com uso de QR code. “O pessoal da minha idade curte muito tecnologia, mas não curte muito estudar e fazer pesquisas. Além de contar essa aventura a minha ideia era mostrar que tem muita coisa legal no mundo e que descobrir essas curiosidades pode ser muito divertido”, explica o autor.

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados