Polícia

Mortes 07 de Janeiro de 2014 - 22h02

Janeiro violento, população em alerta

Em Pelotas, em menos de uma semana, três assassinatos foram registrados

O ano de 2014 inicia violento em Pelotas: um homicídio a cada dois dias. Em menos de uma semana, três assassinatos foram registrados no município. Se uma projeção for feita de acordo com esses dados, em 365 dias, o número de crimes violentos poderá ultrapassar o dobro de 2013. O mês de janeiro do ano passado registrou três homicídios, no entanto, 2014 apresenta-se com um alto índice de violência, o que deixa a população, Polícia Civil e Brigada Militar (BM) em alerta, na função de intensificar o combate à criminalidade.

Michel Silva Gomes, 25, foi a terceira pessoa a ser assassinada neste ano. O crime aconteceu na segunda-feira, no bairro Fragata. O homem foi abordado por dois indivíduos que estavam em uma moto, quando um deles disparou duas vezes contra a vítima, atingindo-a no tórax. Segundo o coordenador do Setor de Repressão Qualificada de Homicídios, delegado Felix Rafanhim, o crime pode ter sido resultado de desavenças, pois Michel apresentava antecedentes criminais relacionados ao tráfico de drogas.

A investigação está em andamento, mas ainda não há suspeitos. O que Rafanhim pode afirmar é a independência dos assassinatos, nenhum dos três tem relação, ou seja, não se tratam de crime organizado. Esta “explosão”, como refere-se Rafanhim, foi uma surpresa para a Polícia Civil. O delegado afirma não lembrar de um ano com início tão violento quanto 2014.

Ações para combater a criminalidade são realizadas pela Brigada Militar, mas segundo o capitão do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), Daniel Silva da Silva, dificilmente crimes como esses – morte por acerto de contas e desavenças – poderiam ser evitados com o trabalho da BM. “O segundo caso não teríamos como intervir pois se tratava de um crime familiar, já os outros dois, com ações, poderiam ser adiados, mas dificilmente evitados”, relata o capitão. Uma das ações que volta a ser intensificada no município é a Paz nos Bairros, visando combater a criminalidade em geral, incluindo o tráfico de drogas. Todos os bairros são beneficiados, mas é feito um planejamento para definir os principais pontos a serem atendidos.

1º Homicídio
O primeiro homicídio registrado em Pelotas já está esclarecido. A vítima, Leandro Paiva, 24, foi morta por um menor de idade que em depoimento à Polícia confessou ter sido o autor do tiro. O crime ocorreu no dia 3 de janeiro, na Ocupação Uruguai, no início da rua General Osório, por volta das 18h. Leandro foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu a caminho do hospital. A equipe que investigou o caso afirma que o motivo do crime eram desavenças pessoais. “Não há dúvidas de quem seja o autor, o caso já está praticamente concluído”, afirma Rafanhim.

2º Homicídio
Um jovem com problemas mentais matou a própria mãe a pauladas, no dia 4 de janeiro na avenida Cidade de Lisboa, bairro Fragata. Cláudia Necy Ludtke Manetti, 46, foi morta a socos pelo filho de 20 anos. No local foram encontrados diversos medicamentos utilizados pelo rapaz, que foi preso em flagrante. M.L.M. não prestou depoimentos na delegacia e segundo Rafanhim, não prestará, por apresentar retardo mental. Foi decretada a prisão preventiva do jovem, que atualmente está internado em um hospital psiquiátrico em Porto Alegre. O agressor responderá o processo sob o Poder Judiciário. Após, a possível insanidade mental será avaliada pelo juíz. O caso na delegacia de Pelotas está concluído.

Comentários
Comentar

Verificação: 1695

Não há comentários, seja o primeiro a comentar!

Veja também


TOPO
Esconder barra