Ambulâncias

Secretária da Saúde sabia dos desvios, afirmam motoristas

Profissionais do Samu dizem que alertaram Ana Costa sobre irregularidades, mas que não houve providências

11 de Julho de 2018 - 20h11 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Secretária Ana Costa dará explicações sobre o caso à Comissão de Saúde da Câmara (Foto: Lenise Slawski - Especial DP)

Secretária Ana Costa dará explicações sobre o caso à Comissão de Saúde da Câmara (Foto: Lenise Slawski - Especial DP)

Há pelo menos quatro meses, a direção da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) tinha conhecimento de que possíveis desvios de combustível estariam ocorrendo na frota do Samu. A afirmação foi feita nesta quarta (11) por condutores de ambulâncias que fizeram as denúncias e estiveram na Câmara de Vereadores. Durante mais de uma hora, eles foram ouvidos pela Comissão de Saúde e explicaram como se daria a fraude que resultou na demissão do responsável pela fiscalização e gestão de frotas da secretaria, Pablo Nalien Gularte.

De acordo com os condutores, que ainda estão vinculados ao Samu e pediram para não ter seus nomes divulgados, os desvios de combustível se tornaram rotina a partir de janeiro. Veículos que oficialmente estavam em oficinas possuem registros de abastecimento. Alguns, inclusive, com dados de deslocamentos e diárias em nome de profissionais que não teriam viajado. “Há registros de viagens para Porto Alegre nos dias 8 e 14 de março que não fiz. Não abasteci viatura para isso, até porque o carro estava estragado”, disse um dos profissionais.

Em outro caso, flagrado por câmeras de um posto, Gularte aparece abastecendo com a matrícula de outro motorista um veículo que, pelo controle oficial, estaria no conserto. “É um carro usado para circulação dentro da cidade. Não transporta pacientes. Mesmo assim, há registro de gastos excessivos para um veículo que só circula até oficinas”, contou o servidor aos parlamentares.

Avisada desde março
Conforme os condutores, a secretária da SMS foi informada de que o controle de consumo de combustíveis poderia estar sendo fraudado. No entanto, nenhuma ação teria sido tomada para coibir as irregularidades. “O Marcelo (Rodrigues da Rosa), ex-coordenador do Samu, avisou, conversou com a secretária no gabinete dela. Mesmo assim, nenhuma sindicância foi aberta e o responsável (Gularte) continuou como homem de confiança”, disse um motorista que atua há 11 anos no Samu.

A informação foi confirmada pelo ex-coordenador do serviço. Ele afirmou ao Diário Popular que tanto Ana Costa quanto o diretor administrativo da SMS, João Rosinha, sabiam das denúncias. “A conversa existiu, sim. Inclusive tenho e-mail informando e solicitando providências ao senhor João Rosinha”, afirma Marcelo da Rosa.

De acordo com a secretária, ela foi procurada no dia 23 de março pelo ex-funcionário do Samu, que relatou uma ligação anônima indicando desvio de gasolina para carros particulares. “Solicitei as imagens das câmeras do posto e aparece o abastecimento de uma ambulância usada para atividades administrativas. Nada que naquele momento chamasse a atenção”, aponta. Ana Costa afirma ainda que somente na semana passada tomou conhecimento das planilhas que indicam abastecimentos justificados por viagens não realizadas. “Não houve negligência. A cada informação tomamos uma providência proporcional. Agora foi aberta sindicância e a prefeita afastou o responsável.”

Explicações
Nesta quinta (12) pela manhã os vereadores irão ouvir a secretária Ana Costa sobre as denúncias. O presidente da Comissão de Saúde, vereador Marcos Ferreira - Marcola (PT) pretende marcar para a próxima terça-feira reuniões com o ex-coordenador do Samu, Marcelo da Rosa. Também deve ser convidado a falar o ex-responsável pela gestão da frota, Pablo Gularte.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados