Indicadores criminais

Roubos e furtos apresentam queda em Pelotas, aponta SSP

Os crimes de homicídio, no entanto, seguem em alta e apresentaram aumento de 9,4% em relação ao primeiro semestre do ano passado

11 de Julho de 2018 - 15h12 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Pelotas apresentou queda nos crimes de furto, roubo, latrocínio, furto e roubo de veículos. Os dados foram divulgados na última terça-feira, pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) e se referem ao primeiro semestre de 2018. Apesar da diminuição os crimes de homicídio seguem em alta na Princesa do Sul. (Foto: Rodrigo Ziebell -SSP)

Pelotas apresentou queda nos crimes de furto, roubo, latrocínio, furto e roubo de veículos. Os dados foram divulgados na última terça-feira, pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) e se referem ao primeiro semestre de 2018. Apesar da diminuição os crimes de homicídio seguem em alta na Princesa do Sul. (Foto: Rodrigo Ziebell -SSP)

Pelotas apresentou queda nos crimes de furto, roubo, latrocínio, furto e roubo de veículos. Os dados foram divulgados na última terça-feira, pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) e se referem ao primeiro semestre de 2018. Apesar da diminuição os crimes de homicídio seguem em alta na Princesa do Sul.

Conforme os indicadores da SSP, de janeiro a junho de 2018, Pelotas registrou 1.855 casos de roubo o que representa queda de 13% comparado ao mesmo período do ano passado, quando a cidade contabilizou 2.133 registros. Já os furtos, apresentaram diminuição de 12,7% em relação ao primeiro semestre de 2017. Foram 1.713 contra 1.963 casos no ano passado. 

Os roubos de veículos foi o indicador que apresentou maior queda se comparado aos meses de janeiro a junho de 2017. Segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública, a diminuição é de 40%. No primeiro semestre de 2018, foram 86 casos contra 144 no ano passado. Os furtos de veículo apresentaram uma pequena queda de 0,7% em comparação a 2017. A Polícia Civil atribui a queda nos indicadores à um esforço que tem sido realizado pela Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (Defrec) em manter uma equipe destinada ao combate desses crimes. 

Os latrocínios tiveram queda de 60%. Foram dois casos registrados no dia 30 de junho deste ano contra cinco nos seis primeiros meses do ano passado. O titular da Defrec, Rafael Lopes, disse que as investigações sobre os latrocínios ocorridos no final do último mês estão avançadas. 

Os crimes de homicídio, no entanto, apresentaram aumento de 9,4% em relação ao primeiro semestre do ano passado. Até o último dia de junho deste ano, 58 pessoas foram assassinadas na Princesa do Sul enquanto que em 2017, no mesmo período, 53 tinham sido mortas.

Para o titular da 18ªDelegacia de Polícia Regional (DPR), Márcio Steffens, as quedas são resultado das ações dos órgãos de Segurança Pública, que têm feito uma repressão qualificada e ininterrupta. "Nos crimes contra o património podemos destacar as ações da Defrec, que prende semanalmente pessoas envolvidas com os mais diversos tipos de furto e roubo".

O subcomandante do 4ºBatalhão de Polícia Militar (BPM), major Márcio André Facin, também atribui a diminuição ao esforço de todos os órgãos de Segurança Pública da cidade. Além disso, o oficial credita a queda ao empenho da Brigada Militar (BM) em realizar ações que identificam os locais e horários de maior incidência de crimes que assustam comunidade. "Percebemos uma evolução e consequência desse trabalho. Não nos acomodamos com esses dados, estamos preocupados com todos os delitos que continuam ocorrendo e, por isso, fazemos uma avaliação diária para poder dar uma dinâmica ainda melhor".

Quanto aos homicídios, o delegado avalia que pode-se dizer que há uma tendência de queda, ainda que pequena. "Já tivemos, durante o ano, índices de 40% de aumento em relação ao ano passado, percentual que vem diminuindo gradativamente, graças a algumas ações estratégicas de enfrentamento aos homicídios", comentou.O titular da 18ªDPR, atribui ainda os resultados às ações tanto repressivas quanto preventivas no âmbito do Pacto Pelotas Pela Paz. "A Polícia Civil trata como prioridade das prioridades o enfrentamento dos homicídios e vai implementar durante o ano inúmeras ações fortes de repressão aos crimes contra a vida", finalizou.

No Estado, o balanço dos dados estatísticos da criminalidade, apresentado pela Secretaria da Segurança Pública aponta redução de 35,6% nos índices de latrocínio e 25,7% nos homicídios, em comparação ao mesmo período no último ano. 

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados