Outono-inverno

Falta de frio atrasa as vendas

Lojistas estão na expectativa de queda na temperatura para produtos de outono-inverno

10 de Abril de 2018 - 11h42 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Clientes com roupas leves dividem espaço com produtos de lã (Foto: Jô Folha - DP)

Clientes com roupas leves dividem espaço com produtos de lã (Foto: Jô Folha - DP)

“É bom quando o frio começa na metade de abril”, diz o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) de Pelotas, Gilmar Bazanella, ao ser questionado sobre as temperaturas elevadas dos últimos dias, que não estimulam os consumidores para as compras de produtos para os meses de outono-inverno.

Nas vitrines, não é raro encontrar blusas de tecidos leves com mangas curtas ou sem mangas colocadas próximas a blusões de lã ou jaquetas de couro sintético. Curiosos, os consumidores conferem qualidade e preços, que não tiveram reajustes elevados vindos dos fornecedores, segundo o assistente de vendas Mário Farias. Sua estimativa é de reajuste semelhante ao da inflação do último ano, abaixo dos 3,5%, segundo a variação dos indicadores.

Clientes como a aposentada Maria Crizel, moradora no Fragata, ainda buscavam roupas de tecidos leves para os próximos dias. Maria procurava ontem uma blusa de mangas longas, embora vestisse uma de mangas curtas. “Nada mais para o verão”, explicou a aposentada,

“A previsão é de um inverno frio”, lembra Bazanella, que alerta os varejistas sobre a dificuldade de fazer a reposição de estoques quando as temperaturas estão mais baixas. “A indústria não tem capacidade para isso”, explica o presidente. Segundo Farias, os clientes estão procurando as novidades para a próxima estação, em especial as gabardines.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados