Na espera

Novo Presídio de Pelotas deve sair do papel este ano, diz secretário

Prédio será construído em uma área militar, no bairro Fragata

07 de Março de 2018 - 09h03 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Construção ficará em uma área militar no fim do bairro Fragata (Foto: Infocenter DP)

Construção ficará em uma área militar no fim do bairro Fragata (Foto: Infocenter DP)

O secretário de Segurança Pública (SSP) do município, Aldo Bruno Ferreira, informou nesta terça-feira (6) que o novo Presídio Regional de Pelotas (PRP) deve sair do papel ainda neste ano.

Durante reunião com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), na última segunda-feira, em Porto Alegre, Tenente Bruno disse que o novo local da cadeia ficará em uma área militar, no fim do bairro Fragata. Segundo o secretário, trata-se de uma permuta entre o município e o Exército. "Depende somente da celeridade da tramitação do terreno", garantiu o chefe da pasta.

Embora a previsão de que as obras do novo PRP iniciem este ano, a capacidade e a estrutura da penitenciária não foram definidas. A indefinição se deve ao fato de que a Susepe, segundo o secretário, deve fazer uma análise do terreno, já que a nova casa prisional será modulada. "Isso depende da engenharia do órgão responsável, que deve seguir um modelo", comentou.

O atual prédio do Presídio Regional de Pelotas tem capacidade para 382 presos, mas abriga 985 detentos - sendo 927 homens e 58 mulheres -, segundo dados da Susepe.

Armas para a Guarda Municipal
Tenente Bruno também esteve reunido com o chefe da Polícia Civil, Emerson Wendt. Na ocasião, foi definido que a Polícia Civil doará, nos próximos meses, cerca de cem revólveres da instituição para uso da Guarda Municipal (GM) de Pelotas. "Além das armas, solicitei mais efetivo para a Polícia Civil, principalmente para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)", afirmou.

Reunião
Nesta quarta-feira, a cúpula da Segurança Pública de Pelotas estará reunida em um almoço com o Executivo municipal para tratar da violência na cidade. Um representante da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado, tenente-coronel, Alexandre Aragon, também participará da reunião. "Vamos discutir estratégias e traçar novas ações com foco nos homicídios", disse o secretário Aldo Bruno Ferreira. Desde o início do ano, 29 pessoas foram assassinadas em Pelotas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados