Expectativa

Não só um sonho, mas uma inspiração

Projeto recebeu apoio de diversos patrocinadores, vindo de todos os bairros de Pelotas

02 de Março de 2018 - 21h41 Corrigir A + A -
Jovens terão o baile de 15 anos no dia 31 de março (Foto: Paulo Rossi - DP)

Jovens terão o baile de 15 anos no dia 31 de março (Foto: Paulo Rossi - DP)

Parte da comunidade do Navegantes II uniu-se para realizar o sonho de princesa de nove meninas com idades entre 14 e 15 anos, todas moradoras dos três núcleos do Navegantes ou das vilas do início da rua General Osório. No próximo dia 31 de março, às 21h no clube Planalto, elas ganharão seu baile de debutantes.

O embrião do projeto vivia apenas nos sonhos de Angelita Boeira. Decoradora, era voluntária na igreja e sonhava em fazer uma festa de debutantes. Então, conversando com a amiga Rita Soares, algo inusitado aconteceu: Ambas nutriam o desejo de criar o mesmo projeto, mas nunca tinham explanado isso. Não demorou muito para surgir o grupo Essência e a ideia ser posta em prática.

A elas se juntaram Esther Boari, filha de Angelita, e Lucinara Moraes, costureira. A partir desse momento foi criada uma página no Facebook para divulgação do projeto. A comunidade abraçou com entusiasmo, conta Angelita. “A gente nunca esperava tanto retorno”, conta a sorridente decoradora.

Alguns pré-requisitos foram definidos, como completar 15 anos entre agosto e março, estar estudando, ser de alguma dessas quatro áreas e ter renda de até 1,5 salário mínimo. Usando a casa de Angelita como sede, o grupo criou laços de amizades.

Mas o projeto não ficou apenas em função do baile. Foram feitas palestras e oficinas com as meninas. Segundo as organizadoras, a ideia geral passou a ser restituir o que foi perdido na comunidade. Alertando as meninas quanto aos malefícios do envolvimento com drogas e criminalidade, além de fazer elas entenderem que, mesmo vindo de comunidades pobres, podem ser mulheres fortes, independentes e formadas. “Eu quero elas sendo alguém melhor (…) a gente quer apostar onde ninguém aposta”, conta Esther, com esperança nos olhos. 

O projeto recebeu apoio de diversos patrocinadores, vindo de todos os bairros de Pelotas. Quem não pôde ajudar com dinheiro ofereceu o trabalho para auxiliar. Um banner com nome de cada colaborador será feito para reconhecer o apoio. Além disso, todos estarão convidados para a festa e poderão levar um acompanhante, enquanto cada menina terá até 15 convidados.

Estrutura e doações 
As doações passam por anéis simbólicos, sapatos, fotos, filmagem, toda a comida e os itens necessários para ao longo da tarde do sábado de festa. As meninas receberão um dia de princesa, ganhando maquiagem, unhas feitas e cabelo arrumado. Com tanto apoio, uma nova edição para o próximo ano já está sendo planejada. 

A equipe do Diário Popular visitou a sede do projeto Essência, mas só cinco das nove meninas puderam ir. Ingrid Cardoso, estudante do 7° ano, disse estar realizada. Através da mãe, ficou sabendo e pôde realizar o sonho. Apesar de não estar nervosa ainda, a sorridente menina já espera as tremuras de ansiedade quando a data se aproximar.

Outra debutante, Maristela Lima, deixou de lado qualquer ansiedade pelo baile e focou em extrair o máximo dos ideais transmitidos pela organização. “Mais do que uma festa, é um projeto social para mostrar a minha periferia”, contou. Em sua casa, são cinco irmãos, sendo ela a mais nova. Além das amizades, disse querer levar para a vida o aprendizado e fazer o bem.

Para o futuro, Maristela pretende cursar psicologia ou ciências sociais. Talvez mude, dependendo dos caminhos a serem traçados pela vida.

Mas uma certeza a menina possui: quer crescer, formar-se e, quando adulta, ter uma profissão na qual possa ajudar as meninas da periferia a também terem um futuro melhor. Enquanto o futuro não chega, demonstra outra convicção. Quando o projeto Essência realizar uma segunda edição, ela estará na organização ao lado das novas amigas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados