Cargo

68 novos diretores de escolas municipais são empossados

Eleitos assumiram a gestão na tarde desta quinta-feira, no Salão Nobre da Prefeitura

01 de Março de 2018 - 17h03 Corrigir A + A -
Prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) pediu o apoio dos novos diretores (Foto: Gustavo Mansur - DP)

Prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) pediu o apoio dos novos diretores (Foto: Gustavo Mansur - DP)

68 diretores das escolas da rede municipal de ensino, eleitos ou reeleitos, tomaram posse na tarde desta quinta-feira (1), no Salão Nobre da Prefeitura. A gestão durará três anos e, após esse tempo, um novo pleito será realizado.

A cerimônia, simbólica, iniciou com discurso do representante dos dietores eleitos, o professor Alexandre Lemos Vieira, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Francisco Caruccio. Na fala, ele classificou o dia como “memorável”. “Um momento sublime que é resultado de democracia. Fomos escolhidos para realizar um trabalho ético, digno e com convicção para contribuir com as escolas”, disse.

Na sequência, ao Diário Popular, o diretor, que vai para o segundo mandato consecutivo, destacou o desafio de aumentar o conceito de Pelotas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – atualmente, apesar de avanço de 20% no último ano, a nota do município está abaixo da média nacional. “Isso só se faz com muita dedicação, muita vontade de ofertar qualidade no ensino dos nossos alunos.”

Com a palavra, a prefeita Paula Mascarenhas reforçou aos eleitos a importância de parceria no momento em que o setor da educação na cidade passa por testes no formato integrado de ensino e pela iminência do plano de carreira para os professores.

Pelotense
A particularidade fica por conta do Colégio Municipal Pelotense. Atualmente interventor, o diretor reeleito, Arthur Katrein, não tomou posse em virtude de as eleições da instituição estarem nas mãos da justiça.
No início de fevereiro o juíz da 6ª vara cível especializada em fazenda pública, Luís Antônio Teles, determinou o indeferimento da chapa única inscrita, encabeçada pelo atual diretor, Arthur Katrein, e a reabertura do processo eleitoral. O conflito entre uma lei municipal e uma portaria que determina a necessidade de graduação em pedagogia para o cargo de diretor dos anos iniciais causou o imbróglio.

Com o resultado das eleições suspenso, Katrein, que chegou a ser reeleito com 83,1% dos votos, assumiu não como diretor, mas como interventor empossado pela Secretaria de Educação. Sobre a questão, Arthur Corrêa afirma que tudo depende da justiça e não há prazo para que uma decisão seja emitida. Até lá, Katrein segue como condutor da intervenção. “São 3 mil alunos. Deixar sem ninguém ou colocar alguém que não conhece a escola pode dar muito errado”, diz o secretário.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados