Alternativa

Negociar o aluguel pode salvar empreendimento?

Desconto ou bonificação são bastante usadas neste momento dentro do mercado de locações de imóveis comerciais

21 de Fevereiro de 2018 - 11h10 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Prédios. Muitos imóveis permanecem fechados à espera de inquilinos. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Prédios. Muitos imóveis permanecem fechados à espera de inquilinos. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Desconto ou bonificação? Uma ou outra das duas alternativas são bastante usadas neste momento dentro do mercado de locações de imóveis comerciais. Diante do contexto econômico, que começa a mostrar os primeiros sinais de equilíbrio, muitos proprietários estão aceitando negociar os valores dos aluguéis, diz o diretor do Secovi - Sindicato da Habitação, André Petry. “A nossa ideia é não perder o inquilino”, explica.

Se para o inquilino, um aluguel mais baixo pode ajudar a manter o negócio, para o proprietário significa não deixar o imóvel fechado, às vezes por um ou dois anos, gerando gastos com impostos anuais e manutenção das instalações. Ficar com o imóvel fechado era prática comum, que não se justifica no quadro atual, avalia Petry. Hoje, os proprietários aceitam uma redução de até 30%, diz o empresário.

Já as bonificações variam a partir de 20%, tudo registrado pelo período em que valerão. Muitas vezes, elas poderão impedir uma troca sucessiva de inquilinos, explica Petry. Estudo mostra que o aluguel deve representar 10% do faturamento do negócio para viabilizar seu sucesso. Em muitos casos, juntam-se ao aluguel os custos com o condomínio do prédio onde o imóvel está localizado.

Proprietários e inquilinos têm tido uma parceria ao longo do tempo, que precisa ser mantida neste momento, avalia o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), Gilmar Bazanella. Hoje, com as vendas mais baixas, o percentual dentro do faturamento da empresa não está mais no ideal de 8%. “Aumentou”, diz, o que justica as negociações entre estas duas partes, completa.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados