A caminho

Em busca de vagas para atender à lei

Smed corre para colocar na escola todas as crianças de quatro e cinco anos

06 de Fevereiro de 2018 - 20h44 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Emei Navegantes, anunciada em 2011, deve ser inaugurada em abril deste ano (Foto: Gabriel Huth - DP)

Emei Navegantes, anunciada em 2011, deve ser inaugurada em abril deste ano (Foto: Gabriel Huth - DP)

A 19 dias de começar as aulas na rede municipal de Educação Infantil, cresce a correria para garantir vagas às crianças de quatro e cinco anos de idade. Prédios alugados, ambientes cedidos em instituições de ensino do Estado, convênios com instituições filantrópicas e espaços transformados em sala de aula. Tudo para atender ao que dita a legislação: nenhum pequeno de quatro e cinco anos pode estar fora da escola.

E, apesar das diferentes alternativas para acolher a gurizada, a Secretaria de Educação e Desporto (Smed) ainda tem de correr atrás de mais de cem vagas; quase a metade delas no bairro Areal. A diretora de ensino, Loreni Peverada Silva, fala com cautela nos números, mas garante: “100% da demanda manifesta pela comunidade será atendida”. E para se ter ideia de quantas crianças devem ser absorvidas, a referência são as matrículas de 2017, quando 5.178 crianças integraram as turmas de Pré-1 e de Pré-2.

De olho nos prazos
As famílias têm até esta sexta-feira para procurar a escola designada a seus filhos e realizar a matrícula. Quem perder o prazo, corre o risco de ficar sem a vaga já anunciada e ter de aguardar nova definição. Portanto, fique atento.

No Navegantes, expectativa é pela nova escola
Até o mês de abril deve ser, finalmente, inaugurada a Escola de Educação Infantil (Emei) Navegantes, uma das 14 instituições anunciadas pela prefeitura em 2011. Pelo menos 94 vagas serão abertas, se as atividades forem desenvolvidas em turno integral. Do contrário, até 188 alunos de zero a cinco anos de idade poderão ser atendidos em dois turnos. 

O prédio - com 895,53 metros quadrados de área construída - contará com salas de aula, sala multiuso, fraldários, refeitório, playground e pátio coberto, diferentemente do previsto em outras escolas do Programa Proinfância do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). “Para atender às características de Pelotas, conseguimos essa adequação no projeto, devido ao período de chuvas e de frio”, explica a arquiteta da Secretaria de Planejamento e Gestão, Estela Azeredo.

O contrato, firmado em novembro de 2016 com a empresa Bandeira e Silva Engenharia, ainda inclui a construção de outras duas escolas, no Vasco Pires e no Laranjal. A estimativa era de que o trabalho fosse concluído em um prazo de 12 meses.

As principais alternativas para geração de vagas

Cedências de uso - Até a manhã desta terça-feira já estava definido que seis escolas da rede estadual firmariam contrato de cessão de uso com a prefeitura. Lelia Olmos, Franklin Olivé Leite, Armando Fagundes, Sylvia Mello, Nossa Senhora Medianeira e Fernando Treptow devem ceder ambientes para a Smed transformar em salas de pré-escola. A Escola Doutor Antônio Leivas Leite é uma sétima alternativa. O total de vagas geradas com a medida, entretanto, não foi informado.

Aluguéis - Prédios, como o que funciona como anexo à Escola Independência, no Sítio Floresta, e o que abrigou provisoriamente a Escola Albina Peres - durante o período de ampliação da Emei - na avenida Domingos de Almeida, no bairro Areal, seguem entre as opções do município para assegurar vagas à criançada de quatro e cinco anos.

Adequações - Espaços que pertencem ao município também recebem adequações para atender à demanda reprimida. É o caso de um antigo posto de saúde da Sanga Funda que se tornou anexo da Escola Francisco Carúccio, já em 2017, quando foram abertas quatro turmas de Educação Infantil, com capacidade para acolher 85 alunos.

Convênios - Parcerias com as instituições filantrópicas também são contabilizadas entre as alternativas do governo para se adequar ao Plano Nacional de Educação (PNE) e respeitar a universalização da pré-escola. Em 2017, por exemplo, as filantrópicas geraram, juntas, 341 vagas de quatro e cinco anos.

Fique atento!
Vagas sobrando no Assis Brasil - Se você ainda não tem vaga garantida para seu filho de cinco anos de idade, não perca tempo. O Instituto de Educação Assis Brasil ainda dispõe de 15 vagas para Pré-2, para o turno da tarde. Os interessados podem ir direto ao IEAB, na rua Antônio dos Anjos, 296.

Se você é retardatário - As famílias que perderam o prazo de inscrição para o ingresso de seus filhos na pré-escola devem procurar a Central de Matrículas nos dias 14, 15 e 16 deste mês. A Central fica na rua Andrade Neves, 2.273.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados