Ensino

Um resto de 2017 na UFPel

Mais de três mil chegaram para as matrículas nas turmas de 2018 na Universidade Federal de Pelotas

05 de Fevereiro de 2018 - 21h29 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Rotina começa a ser retomada nos campi da UFPel (Foto: Paulo Rossi - DP)

Rotina começa a ser retomada nos campi da UFPel (Foto: Paulo Rossi - DP)

André Gustavo, de óculos, veio de Bauru (SP) para cursar Artes Visuais (Foto: Paulo Rossi - DP)

André Gustavo, de óculos, veio de Bauru (SP) para cursar Artes Visuais (Foto: Paulo Rossi - DP)

 Matrículas para as turmas de 2018 estão sendo feitas  (Foto: Paulo Rossi - DP)

Matrículas para as turmas de 2018 estão sendo feitas (Foto: Paulo Rossi - DP)

Ainda há um pouco de 2017 na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Mais 31 dias, especificamente. Este é o tempo que falta para os alunos concluírem o segundo semestre do ano passado. Quem ficar em exame terá ainda mais uma semana. nesta segunda-feira foi dia de retorno para os 18.064 estudantes, que desde o final de dezembro estavam em férias, mesmo sem a conclusão do período letivo. O atraso no cumprimento dos 200 dias previstos no calendário acadêmico ocorreu devido à greve dos servidores da instituição, que pressionaram contra a aprovação da reforma trabalhista e por mais investimentos no Ensino Superior. Para essa turma que retorna, 2018 chegará de verdade somente no dia 26 de março, quando tem início o semestre que se estende até 28 de julho.

Acadêmico de Ciência da Computação, Pablo Sanches, 27, resume bem a impressão dos alunos diante do cenário de pausa nos estudos. “Seria bom ter terminado o semestre mais cedo, porque assim a gente se perde um pouco, quebra o ritmo. Mas, em compensação, não passamos o mês de janeiro inteiro dentro de uma sala de aula”, avalia. Além disso, lembra, ainda há o feriado prolongado de Carnaval que irá interromper as aulas logo nos primeiros dias.

Se para quem está aprendendo não é o ideal, para quem ensina este resto de 2017 em pleno 2018 também tem reflexos. “Faz sentido a impressão dos alunos de que perdem o ritmo. Só que ainda acho melhor fazer uma pausa durante as festividades e prolongá-la do que privar os alunos de ter esse período de descanso com as famílias”, argumenta Franciele Mendes, 26, professora de Alemão no curso de Letras.

Assim como alunos e docentes, a Reitoria da universidade reconhece que concluir um semestre letivo do ano anterior às vésperas do início de um novo ciclo não é o melhor para a formação acadêmica. Contudo, ressalta que em 2018 o calendário deverá ser ajustado. Basta que não existam novos imprevistos.

“Não é bom [o atraso em virtude da greve], porém ele ocorreu por razões que reconhecemos ser justificáveis e justas. Há um grande prejuízo às universidades públicas no país e a greve teve esse motivo”, diz o reitor Pedro Curi Hallal. Segundo ele, a UFPel optou por concluir o segundo semestre em 2018 para priorizar os estudantes mais pobres. “Se fizéssemos apenas um recesso de Natal, terminaríamos as aulas em janeiro. Só que isso faria os alunos de fora viajar duas vezes, uma para as festas com a família e outra para as férias. Nem todos teriam condições.”

Novos rostos
Como já virou tradição, a cada novo semestre o período de matrículas une jovens de todos os lugares do país que chegam a Pelotas em busca de formação na UFPel. Por isso, desde segunda até esta quarta-feira os novos alunos que desembarcam na Estação Rodoviária contam com recepção de uma equipe da universidade e têm à disposição, das 9h às 13h, transporte até o Campus 2, na rua Almirante Barroso, 1.202.

Natural de Bauru, em São Paulo, André Gustavo, 19, desembarcou em busca da sua formação em Artes Visuais. Após conversar com estudantes e professores do curso, resolveu vir para a cidade. Na segunda à tarde, aguardava para ser entrevistado para tentar uma das 50 vagas disponíveis aos novos alunos na Casa do Estudante.

Larissa Mendes, 18, também espera conseguir o auxílio estudantil. “Estou na fila de espera para Arquitetura e por enquanto matriculada em Artes Visuais. Vim para a UFPel porque foca bastante em pesquisa. Quero criar coisas novas e que ajudem a baratear o acesso das pessoas à, por exemplo, arquitetura sustentável”, explica a jovem de Três Coroas, cidade a 91 quilômetros de Porto Alegre.

Aulas e matrículas também no IFSul
O Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) também retomou as aulas nesta segunda-feira no campus Pelotas, com o ingresso de 800 alunos. Ao todo, a unidade conta com quatro mil estudantes de cursos técnicos e superiores. Já no campus Visconde da Graça (CAVG) os aprovados nos processos seletivos de 2017 e 2018 começam as atividades dia 19 de fevereiro.

As matrículas para os aprovados através do Sisu terminam nesta segunda-feira no campus Pelotas e vão até nesta quarta-feira no campus CAVG. São 724 vagas, sendo a maior parte delas ao campus Pelotas: 274 para a unidade da praça 20 de Setembro, no Fragata, e outras 144 para o Visconde da Graça.

Saiba mais

Na UFPel

Aulas 2017/2
De 5 de fevereiro a 14 de março

Férias
De 14 a 26 de março

Número de alunos 2017/2
18.064

Matrículas 2018/1
Até quarta (7) para aprovados em primeira chamada

Aulas 2018/1
De 26 de março a 28 de julho

Vagas para 2018/1
3.436, sendo 2.750 via Sisu, 637 do Pave e 49 através de Vestibular

Cursos
192, sendo 92 de graduação presencial, cinco de graduação a distância e 95 de pós-graduação


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados