Literatura

Deslocar o cotidiano

Na obra, Andréia Pires aborda a experiência humana com o tempo e o espaço através de significativas mudanças

04 de Fevereiro de 2018 - 21h40 Corrigir A + A -
Escritora Andreia Pires lança obra na Feira do Livro da Furg, em Rio Grande (Foto: Divulgação - DP)

Escritora Andreia Pires lança obra na Feira do Livro da Furg, em Rio Grande (Foto: Divulgação - DP)

Trinta e duas pequenas transformações de vida integram o novo livro da jornalista e professora rio-grandina Andréia Pires, Azaleia para erva de passarinho, lançado pela editora independente Concha - na 45ª Feira do Livro da Furg, na praia do Cassino. São contos que abordam o deslocamento como tema e estratégia de linguagem.

O conceito foi desenvolvido pela escritora tanto no mestrado em História da Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande quanto no doutorado em Escrita Criativa na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Apesar do estudos, o deslocamento se faz presente na ficção que cria, atualmente de forma mais intencional.

Seja através de meninas que enterram suas bonecas ou pela memória de um homem que guarda sua riqueza no  centro de uma câmara escura, os protagonistas da obra "tentam situar e compreender quem são entre a banalidade e o insólito, entre extremos e descontínuos da vida".

O título, que dá nome ao primeiro conto, refere-se à erva de passarinho como uma erva daninha. "Quando penso em Azaleia para erva de passarinho acho que quero falar sobre resistência. Sobre ser sensível e firme ao mesmo tempo. E aprender a conviver com as ervas daninhas de todo dia", explica.

Este projeto, segundo a escritora, fecha um ciclo criativo e deixa que um novo se inicie. O livro registra um percurso de experimentação literária em narrativas curtas, formato que passou a se dedicar menos no último ano. Andréia conta que sua produção mais recente foi o romance O céu riscado na pele, finalizado em 2017 e ainda inédito.

"Essa vivência mudou bastante a minha relação com a escrita. Tenho me sentido mais feliz, mais satisfeita com a minha produção, quando posso me envolver com projetos mais longos, escrever romance me trouxe essa sensação boa", revela. Ainda não há previsão de publicação para O céu riscado na pele.

Trabalhos atuais
A rio-grandina estreou na literatura com a coletânea De solas e asas (2012) e depois lançou o infanto-juvenil Um ninho no estranho (2013). Também participou de projetos coletivos, como Naufrágios urbanos, da Oficina Literária do Assis Brasil (2015), e Condomínio Saint-Hilaire, lançado na 45ª Feira do Livro da Furg.

Este último configura-se como o último trabalho do Invitro, núcleo literário da produtora artística Mundo Moinho, pelo qual Andréia foi responsável. Condomínio Saint-Hilaire (2018, editora Quinhentos e Cinquenta) é uma história coletiva, em que cada escritor assumiu um personagem e um apartamento deste suposto prédio. A narrativa foi desenvolvida ao longo de várias rodadas, cada uma com um desafio de escrita diferente.

O quê: livro Azaleia para erva de passarinho, de Andréia Pires
Ano: 2018
Gênero: conto
Páginas: 104
Valor: R$ 35,00
À venda na 45ª Feira do Livro da Furg e no site www.conchaeditora.com.br


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados