Insegurança

Tráfico de drogas no entorno das escolas

Casos têm sido comuns; nesta terça, um homem foi preso nas proximidades da Osmar Rocha Grafulha, no bairro Fragata

17 de Maio de 2017 - 08h39 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Balança de precisão, dinheiro, celular e pequenas quantidades de maconha e crack, prontas para serem comercializadas, foram encontradas por policiais militares com um homem de 47 anos nesta terça-feira nas proximidades da escola Osmar da Rocha Grafulha, bairro Fragata, Zona Oeste de Pelotas (Foto: Divulgação - DP)

Balança de precisão, dinheiro, celular e pequenas quantidades de maconha e crack, prontas para serem comercializadas, foram encontradas por policiais militares com um homem de 47 anos nesta terça-feira nas proximidades da escola Osmar da Rocha Grafulha, bairro Fragata, Zona Oeste de Pelotas (Foto: Divulgação - DP)

“A gente sabe que acontece. É comum, inclusive, ver alunos da escola envolvidos com o tráfico que ocorre próximo ao colégio. A gente orienta, mas não adianta nada.”

O desabafo é da diretora de uma escola estadual localizada no bairro Fragata, Zona Oeste de Pelotas. Ela preferiu não ser identificada na reportagem que fala sobre a recorrente prática do tráfico de drogas no entorno e nas proximidades dos educandários que fazem parte das redes municipal e estadual do bairro. A situação prejudica as aulas e incomoda quem não está ligado ao movimento.

Levantamento feito pelo Diário Popular com base na quantidade de alunos das escolas do município e do Estado, localizadas no Fragata, aponta que pelo menos, cinco mil estudantes são afetados pela prática criminosa realizada nas proximidades escolares. Investigação da distrital do bairro, 3ª Delegacia de Polícia (DP), apura a movimentação do tráfico no entorno das escolas. “O que ocorre é a venda de pequenas quantidades de drogas nesses locais”, comentou a titular da DP, Márcia Chiviacowsky.

Diante do cenário, a opinião entre professores é unânime: faltam investimentos em projetos sociais que incentivem os jovens a sair da criminalidade e mais presença da polícia com ações de prevenção. Para a professora, a prática do tráfico de drogas aumentou de forma expressiva nos dois últimos anos. “Tudo elevou, não só o tráfico - mas assaltos também. Uma aluna foi assaltada na frente da escola por um motoqueiro. A situação é preocupante”, comentou a docente que não quis ser identificada.

Nesta terça-feira (16), após denúncias de que estaria havendo tráfico próximo à Escola Estadual Osmar da Rocha Grafulha, no Ciep, policiais militares do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM) prenderam um homem de 47 anos. Com ele, a BM encontrou balança de precisão, dinheiro e pequenas quantidades de maconha e crack embaladas, prontas para consumo. Conforme a Brigada Militar (BM), antes de ser preso o suspeito foi flagrado pela guarnição recebendo o material de um outro homem que acabou fugindo. Segundo os policiais que prenderam o traficante, denúncias de tráfico naquela região são frequentes.

O secretário de Segurança Pública Municipal, Aldo Bruno Ferreira, o tenente Bruno, disse que a Guarda Municipal (GM) realiza ações de prevenção e atividades educativas nas escolas do município. Segundo ele, a pasta não possui dados sobre a violência no perímetro escolar, porque o estudo intitulado Observatório da criminalidade ainda está em fase de recolhimento de informações. O comandante da GM, Ladislau Neto, garantiu que os agentes, através da Patrula Escolar e do Grupo de Ações Rápidas (GAR), atuam no combate ao tráfico nas regiões escolares.

Apesar da reclamação geral da falta de policiamento, a Brigada Militar (BM) informou que a Patrulha Escolar está ativa e diariamente circula pelas escolas estaduais. Além da equipe, guarnições rondam os educandários para coibir a criminalidade do entorno das escolas.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados