Música

Versão plugada e mais pesada

Banda é influenciada por grandes dinossauros do rock dos anos 70 como Kiss, Led Zeppelin e Black Sabbath

21 de Abril de 2017 - 15h02 Corrigir A + A -
O primeiro álbum, mesmo lançado de forma independente, vendeu mais de dez mil cópias (Foto: Divulgação)

O primeiro álbum, mesmo lançado de forma independente, vendeu mais de dez mil cópias (Foto: Divulgação)

Neste sábado, às 23h, a Rosa Tattooada volta ao palco do João Gilberto Bar para um show plugado e pesado. Com 29 anos de carreira, a banda gaúcha traz no repertório clássicos como Tardes de outono, Carburador, O inferno vai ter que esperar, Um milhão de flores e Diamante interestelar, canções que marcaram essa trajetória.

Formada em 1988, estreou abrindo para outra lendária banda gaúcha, Os Cascavelletes, e logo depois se tornou conhecida em todo o país. Influenciada por grandes dinossauros do rock dos anos 70 como Kiss, Led Zeppelin e Black Sabbath, e também pelo boom do hard rock dos anos 80 - Mötley Crüe, Ratt, Twisted Sister -, a Rosa Tattooada chegou às rádios com uma demo que trazia os hits O inferno vai ter que esperar - uma das três músicas mais tocadas da história do pop/rock gaúcho, e Tardes de outono.

O primeiro álbum (Nova ideia, 1990), mesmo lançado de forma independente, vendeu mais de dez mil cópias. Logo em seguida, a banda assinou com a Sony Music, regravando o disco de lançamento com divulgação nacional (1992). Na mesma época a banda abriu os três shows da turnê Use your illusion do Guns N’ Roses, tocando para mais de 150 mil pessoas em duas noites no Anhembi, em São Paulo, e uma noite no Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

O quê: show da Rosa Tattooada
Onde: João Gilberto Bar, Gonçalves Chaves, 430
Quando: sábado, às 23h
Ingressos: antecipados a R$ 30,00 na CD House e no site do bar e R$ 40,00 na hora


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados