Apoio

Uma chance de romper obstáculos

Parte do programa Cada Jovem Conta, que integra o eixo preventivo do Pacto Pelotas pela Paz

10 de Janeiro de 2018 - 20h33 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Adolescentes são indicados para ocupar vagas (Foto: Divulgação - DP)

Adolescentes são indicados para ocupar vagas (Foto: Divulgação - DP)

Se encontrar uma oportunidade de trabalho não é uma tarefa fácil para quem tem todas as chances possíveis de estudo e uma família bem estruturada, o desafio torna-se ainda maior quando se fala em jovens em vulnerabilidade social. Vivendo em ambientes cercados pela violência e com poucas perspectivas, são poucos os caminhos que se abrem para uma vida melhor. Para tentar inverter essa lógica, o município aposta no Banco de Oportunidades como forma de direcionar estes adolescentes ao mercado de trabalho, cultura e esporte.

Parte do programa Cada Jovem Conta, que integra o eixo preventivo do Pacto Pelotas pela Paz, o banco funciona como uma espécie de agenciador de futuros talentos. A partir de um mapeamento de vagas feito por técnicos da Secretaria de Assistência Social (SAS) em empresas e instituições da cidade, os adolescentes são indicados às oportunidades encontradas. O comércio tem sido um dos principais parceiros da ação. Entretanto, como ainda não possuem experiência profissional, o caminho até o mercado de trabalho passa antes por cursos de formação como o Jovem Aprendiz, do Senac.

Conforme o secretário de Cultura, Giorgio Ronna, responsável pelo Banco de Talentos, além da Secretaria de Cultura (Secult) e da SAS, a iniciativa conta também com o suporte da Secretaria da Saúde (SMS).

Juntas, equipes das três pastas realizam reuniões em áreas definidas como microterritórios dentro dos bairros. Os encontros envolvem escolas públicas, Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e outros serviços públicos. “As Secretarias agem de forma integrada, cada uma com função diferente nesse processo. Há desde o acompanhamento de saúde das famílias até a inclusão em atividades de cultura, esporte e acesso ao trabalho”, afirma.

Apesar do monitoramento constante, a coordenadora do programa Cada Jovem Conta explica que uma das estratégias adotadas é de que os adolescentes não saibam que fazem parte do cadastro. “Queremos romper a barreira imposta pelas dificuldades do local em que vivem e não que sejam identificados ou fiquem estigmatizados por isso”, diz Aline Crochemore, chefe do Departamento de Média Complexidade da SAS.

Caixa de uma loja de vestuário no Centro, Daiane de Lacerda conta que a empresa aderiu ao programa após uma visita de agentes do Banco de Oportunidades em novembro. Nos próximos dias, um garoto de 14 anos que passa por treinamento no Senac se integrará à equipe. “É importante dar essa chance porque sabemos da realidade difícil de muitas famílias. Será o primeiro e torcemos para que dê certo.”

Até o momento, 108 vagas já foram captadas pelo banco, que não direciona apenas para o mercado. Conforme o perfil de cada adolescente, atividades como oficinas de teatro, fotografia e hip-hop também são indicadas. Outras 35 oportunidades devem ser abertas nos próximos meses em empresas parceiras do Pacto Pelotas pela Paz.

Ampliação do Cada Jovem Conta
Até o momento 47 adolescentes de dois comitês territoriais dentro do bairro Areal estão sendo monitorados pelo programa com o objetivo de prevenir a influência da criminalidade no dia a dia. A opção inicial pelo bairro se deu justamente devido a maior incidência de fatores negativos como evasão escolar e índices de violência. No entanto, o cronograma prevê expansão da abrangência a partir de março, chegando ao Getúlio Vargas e Loteamento Osório. Até dezembro, o objetivo é alcançar a cobertura de todas as áreas da cidade.

“Serão 16 territórios. As referências são as escolas de cada localidade, são elas que identificam e nos apontam os jovens que mais precisam. Infelizmente sabemos que há diversos casos de jovens com pais presos, envolvidos com o crime, com drogas. Queremos evitar que sigam esse caminho”, detalha Aline.

Saiba mais
Empresas e instituições interessadas em fazer parte do Banco de Oportunidades oferecendo vagas para aprendizes podem entrar em contato através do telefone 3225-8355 ou pelo e-mail pablosalomao.sms@gmail.com.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados