Eleições 2016

Sizenando deve voltar à Câmara de Vereadores

Recontagem de votos nesta sexta-feira não levará em consideração a votação de Marcos Rogério Canídia

05 de Janeiro de 2018 - 10h33 Corrigir A + A -
Barriga obteve 2.486 votos nas eleições 2016; Sizenando, 2.040 mil.  (Foto: Infocenter DP)

Barriga obteve 2.486 votos nas eleições 2016; Sizenando, 2.040 mil. (Foto: Infocenter DP)

A definição para o caso envolvendo o atual vereador Rafael Dutra - Barriga (PTB) e o ex-vereador José Sizenando (DEM) pode ser resolvida na tarde desta sexta-feira (5). Está marcada para as 14h o que a Justiça chama de “nova totalização dos votos da eleição municipal de 2016”. No ato, haverá uma recontagem de votos a partir da decisão de impugnação da candidatura de Marcos Rogério Nogueira da Silva (PTB), o Canídia.

Sem estes votos, o PTB perde uma cadeira para o DEM na Câmara de Vereadores de Pelotas em função do coeficiente eleitoral. A ordem para a recontagem imediata dos votos partiu do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes.

Barriga obteve apoio de 2.486 eleitores, elegendo-se como o 14º parlamentar mais votado. Já Sizenando reuniu 2.040 votos, ficando na primeira-suplência de Ademar Ornel e foi o 24º mais votado. Pelo coeficiente eleitoral, Barriga se elegeu com a ajuda dos 354 votos de Marcos Canídia.

No entanto, através de recurso no Tribunal Regional Eleitoral, o Democratas pediu a impugnação da candidatura de Canídia por não atender todos os requisitos obrigatórios para a disputa. O caso foi parar no TSE. Em Brasília, por uma decisão unânime de sete ministros em outubro, a candidatura de Canídia foi anulada - a decisão também anula os votos obtidos pelo então candidato.

A infração de Canídia, apontou o TSE, era de não estar filiado ao PTB no mínimo seis meses antes de se lançar candidato. Com a anulação desta candidatura, a coligação PTB/PSD/PV/PSC perde uma cadeira, que passa a ser ocupada pela coligação DEM/PTC/PHS.

Hoje o PTB conta com os vereadores Anderson Garcia, atual presidente da Câmara, Reinaldo Elias - Belezinha e Rafael Dutra - Barriga. Junto com o PSB e o PDT, o partido tem a segunda maior bancada da Casa. Com a vaga, PTB e DEM se igualam em número de vereadores ao PT - com dois parlamentares cada partido.

Sizenando manifestou expectativa no final da tarde de quinta-feira (4). “Muita expectativa e um pouco desiludido com tudo o que já aconteceu neste processo”, disse. O democrata reclamou da demora da Justiça, que tomou a decisão em outubro e até agora não surtiu efeito nos quadros do Legislativo municipal. Sobre o parlamentar que a população pode esperar, Sizenando garantiu que será de muito trabalho e de posição independente. “Nem oposição e nem situação como sempre foi, vou seguir o trabalho comunitário”, projetou.

Conforme informações que chegaram à Editoria, Barriga estava bastante abalado com a notícia na quinta. Sabendo já que, com a recontagem e desconsiderando Canídia, ele não permanecerá na Câmara, Barriga já estaria pensando em lançar-se candidato a deputado estadual. Uma pessoa próxima ao vereador informou que diversos apoiadores ligaram e mandaram mensagens de apoio ao vereador, que é morador do bairro Getúlio Vargas.

Barriga confirmou a intenção no início da noite de quinta. “Não é fácil, mas meu povo quer que eu seja candidato a estadual até pra votos de protesto”, comentou. Sobre os próximos passos, o vereador disse que aguarda a chegada da decisão antes de definir o futuro.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados