Projeto

Secretaria poderá contar com mais 40 educadores sociais

Projeto que autoriza a contratação está na Câmara de Vereadores de Pelotas e será votado em fevereiro

03 de Janeiro de 2018 - 09h00 Corrigir A + A -

Protocolada nos últimos dias de dezembro, a lei que autoriza a contratação de 40 educadores sociais para a Secretaria de Assistência Social (SAS) deve ser apreciada pelos vereadores somente em fevereiro. Em recesso parlamentar até o final do mês, todos os projetos que dependem de uma avaliação das comissões permanentes, casos da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento e Finanças (COF), só poderão ser votados quando as comissões forem constituídas.

Segundo o secretário de Assistência Social (SAS), Luiz Eduardo Longaray, o município hoje conta com 170 profissionais atuando nas casas de abrigos, nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

“São para atuar no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), nos abrigos do município, Cras e Creas”, aponta o secretário. Além disso, o serviço será ampliado com um novo centro com serviços de convivência e fortalecimento de vínculos que deve ser inaugurado em breve no Quilombo, 7° Distrito da Zona Rural de Pelotas. Especificamente para este centro será feita uma seleção especial em função dos requisitos. “Um dos requisitos especiais será que os educadores residam na comunidade, como é o caso dos agentes de saúde”, compara.

Com o requisito de escolaridade de Ensino Médio completo, os educadores contratados farão um curso de capacitação na própria secretaria. “Em 2017 já realizamos dois cursos, neste ano vamos fazer três e envolver todos os educadores, os já contratados e os novos”, explica Longaray.

Os educadores sociais do município atendem em torno de 150 pessoas somente em abrigos. De acordo com o secretário, o formato de contratação temporária ao invés de concurso público é uma orientação do Ministério Público.

Novidade
Outra novidade que deve estar em breve na pauta da Câmara é um adicional de 20% do salário mínimo para os profissionais que atuam nos abrigos. “A exemplo da Secretaria de Saúde, é um estímulo para quem for bem avaliado. Um plus para motivar o pessoal”, adianta o secretário. O projeto já teria estudo de impacto financeiro e a aprovação da prefeita Paula Mascarenhas (PSDB).

Educadores sociais
Requisitos: Ensino Fundamental completo
Carga horária: 40 horas semanais
Remuneração: R$ 954,00
Atribuições: executar atividades lúdicas e recreativas, trabalhos educacionais, acompanhamento em passeios, visitas e festividades, auxiliar na higiene pessoal e na alimentação, auxiliar no desenvolvimento da coordenação motora, controlar medicamentos, prestar primeiros socorros, entre outros.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados