Saúde

Quando o esporte chega para a terceira idade

Em busca de uma melhor qualidade de vida, muitos pelotenses apostam na prática esportiva

23 de Dezembro de 2017 - 21h30 Corrigir A + A -

Por: Sérgio Cabral
cabral@diariopopular.com.br 

Karate - Mestre Osvaldo Marino Ramos (70 anos) - Campeão brasileiro e mundial. (Foto: Divulgação)

Karate - Mestre Osvaldo Marino Ramos (70 anos) - Campeão brasileiro e mundial. (Foto: Divulgação)

Sandra Marques, professora de Educação Física e personal. (Foto: Fitas Clipe)

Sandra Marques, professora de Educação Física e personal. (Foto: Fitas Clipe)

Rosi Weege, coordenadora do projeto Hercílio (Foto: Esportes/Atletismo)

Rosi Weege, coordenadora do projeto Hercílio (Foto: Esportes/Atletismo)

Parceria. Eurico Passos de Oliveira (D) com os parceiros no Parque Tênis Clube. (Foto: Divulgação)

Parceria. Eurico Passos de Oliveira (D) com os parceiros no Parque Tênis Clube. (Foto: Divulgação)

Há muitos anos o mundo acompanha a evolução e o crescimento do número de pessoas da terceira idade que praticam esporte para melhorar a qualidade de vida. Em Pelotas, a quantidade de projetos também é muito interessante e mexe com as pessoas que procuram vários clubes e entidades para melhorar a saúde. Desde associações de aposentados, grupos de bocha, xadrez, natação, futsete, artes marciais, corridas de rua, pesca, remo, entre outros esportes, todos dão novas oportunidades aos idosos.

No Brasil, toda pessoa com 60 anos ou mais é considerada como idosa, de acordo com o Estatuto do Idoso (Ministério da Saúde - 2013). Isso não fragiliza ninguém, pelo contrário, em algumas situações envaidece o bem-estar, a qualidade de vida dos praticantes de jogos de lazer ou competitivos.

Alguns praticam esportes com frequência, treinamentos diários, para estar melhor preparados para as competições que marcam no calendário anual dos seus eventos. Outros idosos aproveitam para a pratica laboral, física e intelectual. Assim, melhoram a qualidade da saúde com o yoga, o pilates ou em academias de musculação e semelhantes. Pelotas tem muitos profissionais e líderes de equipes de competições mexendo com a faixa etária da terceira idade.

Estudo recente comprovou que temos mais de 20 milhões de idosos no Brasil, estima-se que em 2025 serão 32 milhões e que em 2050 o número de pessoas idosas será maior ou igual ao de crianças e jovens de zero a 15 anos. O mais importante para todos é manter a garantia dos direitos à vida, à liberdade, à dignidade, ao lazer e à saúde.

Recomenda-se, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), que para prevenir ou retardar o aparecimento de doenças crônicas não transmissíveis, o idoso deve realizar, semanalmente, pelo menos 150 minutos de atividades físicas de intensidade moderada ou 75 minutos de intensidade física de maior intensidade. Muitos aderem a caminhadas, passeio de bicicleta, hidroginástica, atividades físicas que valem como benefícios para o corpo e a mente - sem excessos.

Confira alguns destaques pelotenses da terceira idade

►Karate - Mestre Osvaldo Marino Ramos (70 anos) - Campeão brasileiro e mundial

►Supino - Mestre Puma (60 anos) - Campeão Brasileiro e Mundial

►Eurico Oliveira - Dentista e tenista há 60 anos

►Karate - Sensei Élbio Dutra (80 anos) - Campeão brasileiro

►Natação - Neir Martinelli (80 anos) - Campeão brasileiro e sul-americano

►Pesca - Brites (80 anos) Campeão Pelotense de Pesca (CP)

►Atletismo - Isalé Peres - Campeã de maratonas

►Clair Santos - Campeã de Maratonas

►Natação - Helena dos Passos Rocha - 75 anos - Campeã estadual e regional

Depoimentos
Tênis
“Jogo tênis desde os dez e estou com 70 anos. Não tinha ideia da importância do esporte. Meu pai e meu avô praticavam. Foi uma coisa natural. Todos os sete irmãos jogaram tênis. Um esporte que se pode praticar toda a vida. Exige pouco tempo, precisa só de mais um, pode jogar indors, não existe contato corporal (lesões por queda ou pontapés etc.). Proporciona facilidade de conhecer gente, fazer amigos, viajar… E agora quando chegou a hora da aposentadoria, preencher as horas ociosas fazendo algo prazeroso.” (Eurico Oliveira)

Atletismo
“A prática esportiva é muito importante em qualquer faixa etária porque evita o sedentarismo, causa de muitas doenças relacionadas ao coração. Mas, na terceira idade é ainda mais. Além de fazer um bem enorme à autoestima e à cabeça, é uma grande aliada à saúde dos idosos. Melhora a coordenação motora, a respiração, evita a perda natural de massa muscular e ganha força, além de ser um momento de socialização. O nosso grupo é assim”. (Rosi Weege, coordenadora do projeto Hercílio Esportes/Atletismo)

Saúde
“É de suma importância todas as pessoas da terceira ou melhor idade participarem de eventos esportivos competitivos ou de lazer... pois desta forma eles se mantêm ativos, saudáveis e estimulados. Nosso corpo após os 30 anos (bem cedo) começa a fazer catabolismo naturalmente que é a degradação das células, e a prática do exercício físico nos ajuda a manter e até ganhar massa muscular que é o que sustenta a nossa estrutura esquelética, evitando lesões, quedas e desequilíbrios nesta idade. Sem falar da socialização, pois através de práticas de esportes coletivos o idoso se mantém convivendo com amigos; estimulando também sua mente de forma saudável e feliz.” (Sandra Marques, professora de Educação Física e personal)


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados