Vendas

O 13º salário chega ao comércio

Movimento na área central da cidade cresceu a partir de sexta-feira

04 de Dezembro de 2017 - 13h22 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Presentes. O casal Jean Carlos Flores e Carla Fernandes 
aproveitou a manhã de sábado para compras. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Presentes. O casal Jean Carlos Flores e Carla Fernandes aproveitou a manhã de sábado para compras. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O maior movimento de populares na área central de Pelotas mostrava nos últimos dias também uma reação no consumo, já que grande parte deles portava pacotes e sacolas com compras, principalmente de presentes. A motivação veio principalmente do pagamento da primeira parcela do 13º salário a muitos dos trabalhadores da iniciativa privada na quinta-feira. Projeção do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), feita a partir de levantamento realizado junto a lojistas associados, aponta aumento de 3,6% nas vendas deste final de ano, na comparação com as do ano passado, no mesmo período.

Projeções nacionais, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indicam aumento de 4,3% nas vendas para Natal - um índice pouco acima do local, avaliou o presidente do Sindilojas de Pelotas, Gilmar Bazanella. A expectativa da CNC é vista com otimismo pelo varejo brasileiro. No Estado, a previsão é de incremento de 12% nos negócios para a melhor época de vendas do ano, segundo a Federação de Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) gaúcha, mas de 7%, de acordo com a Agência Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo (AGV).

A técnica em Enfermagem, Carla Fernandes, fazia a compra de presentes na manhã de sábado. “Ainda faltam os para os sobrinhos”, explicou Carla, que recebeu na quinta-feira já a segunda parcela do abono de Natal. Mas a expectativa do marido, o operador de máquinas Jean Carlos Flores, era de levar “tudo” ainda naquela data. O casal, morador no Capão do Leão, tem dois filhos, cujos presentes já foram comprados. A expectativa deles é que o Natal deste ano seja igual ao do ano passado, embora Flores esteja recebendo o seguro-desemprego. A primeira parte do 13º de Carla foi usado para pagar contas (“poucas”, segundo a técnica em Enfermagem) e trocar os móveis.

Na loja de brinquedos, a gerente Lucélia Stander viu os reflexos iniciais do pagamento da primeira parcela do 13º na compra de brinquedos. “Sexta-feira foi um dia muito movimentado”, comentou Lucélia. “Isso já mostra que o Natal vai ser diferente do Dia da Criança”, completou a gerente. Na data comemorativa de outubro, embora seja importante para o varejo brasileiro, as vendas ficaram abaixo do previsto. Em falta no comércio para o Dia da Criança, a boneca Lol tem sido a preferida, conta Lucélia. “Chegou e uma só cliente levou sete”, explicou a gerente. O brinquedo - uma boneca surpresa - tem preços entre R$ 49,00 e R$ 99,00.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados