Reforço

Operação Golfinho tem início dia 16

A previsão é de que a ação comece com 120 servidores e receba mais 100 em janeiro

29 de Novembro de 2017 - 12h20 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

A menos de um mês para o início do verão, o governo do Estado anunciou que a Operação Golfinho deve começar no dia 16 de dezembro, se estendendo até 4 de março de 2018. Ao total, 1.035 servidores - 758 policiais e 277 bombeiros - passam por treinamento até o próximo dia 10. Em algumas ocasiões já foi possível ver alguns deles na praia do Laranjal.

Embora ainda não tenha definido qual será o efetivo empregado na Região Sul, o major Everton Dias - responsável pela Operação Golfinho - disse que a ideia é manter a mesma quantidade de guarda-vidas do ano passado, aproximadamente 120 servidores de diversas regiões do Estado. “Queremos garantir efetivo nas 30 guaritas, mas ainda estamos em fase de ajustes”, disse. Durante toda edição do ano passado, os guarda-vidas da região de abrangência do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros (Região Sul) realizaram 179 salvamentos. Nove mortes foram registradas por afogamento. No Estado, mais de mil salvamentos. E 50 pessoas morreram afogadas.

Na última segunda-feira, o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) abriu inscrições para o processo seletivo para contratação de guarda-vidas civis temporários. Serão 600 vagas para atuação em praias de mar e águas internas. Do total, 100 são destinadas à Zona Sul. As inscrições seguem até 12 de dezembro e devem ser feitas no site da Brigada Militar. Os guarda-vidas civis temporários, entretanto, deverão começar a atuar somente em janeiro, um mês depois do início da Operação.

Processo seletivo
Para se inscrever, o interessado deve ter entre 18 e 45 anos (ambos os sexos), Ensino Fundamental completo, estar em dia com as obrigações eleitorais e militares e não ter sofrido condenação criminal com pena privativa de liberdade. No momento da inscrição, o candidato já faz a opção por águas do mar ou águas internas.

O processo seletivo se dará em duas fases. A primeira será de habilitação específica, que consiste em exames de saúde, mental e aptidão física, e a segunda, de capacitação técnica para os aprovados na primeira etapa, com duração de 200 horas/aula. A primeira fase ocorrerá no dia 29 de dezembro. Durante o período de contratação, o guarda-vida temporário receberá R$ 2 mil mensais, com acréscimo de 100% a título de risco de vida, 30 vales-refeição e auxílio-transporte.

Agora é guarda-vidas
Para atender à orientação da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), o CBMRS adequou para “guarda-vidas” a nomenclatura técnica dos militares e dos civis temporários que atuam no serviço de salvamento aquático, substituindo o termo “salva-vidas”.

A Sobrasa estabelece que o emprego do termo “guarda-vidas” é amplo, pois a atividade de guardar pressupõe cuidados preventivos e de reposta relacionados às pessoas e ao próprio ambiente, sendo, portanto, mais adequado ao serviço de segurança aquática prestado pelo CBMRS. Já o termo “salva-vidas” está tecnicamente associado aos equipamentos que, efetivamente, salvam vidas, tais como os flutuadores e as boias. Em virtude de ser um período de transição e de haver processos licitatórios em andamento, os uniformes utilizados na temporada 2017/2018 ainda trarão a inscrição “salva-vidas”. No entanto, a documentação operacional e as referências ao serviço serão feitas empregando o termo “guarda-vidas”.

Salvamento em águas do mar da Região Sul
São José do Norte, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar e Chuí.

Salvamento aquático em águas internas
Pelotas, São Lourenço, Santa Vitória do Palmar e Arroio Grande

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados