Atividades

Mais espaço para o circo

Grupo Tholl comemora 15 anos de espetáculo e promove, a partir desta sexta, festival com ações em diferentes pontos da cidade

10 de Novembro de 2017 - 11h20 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Trabalho. Bachilli e Marques (D) à frente do evento que vai até o dia 17. (Foto: Paulo Rossi - DP)

Trabalho. Bachilli e Marques (D) à frente do evento que vai até o dia 17. (Foto: Paulo Rossi - DP)

Com três dias a mais do que na edição anterior, começa nesta sexta-feira (10) e vai até o dia 17 o 2º Festival de Circo de Pelotas, uma promoção do grupo Tholl com financiamento do Procultura municipal. Na abertura, às 18h, os artistas participam do cortejo circense, que começa no Altar da Pátria, na praça Dom Antônio Zattera, seguindo pela rua Andrade Neves, com término previsto para a praça Coronel Pedro Osório. Esta é a primeira de uma série de atividades que incluem apresentações e workshops abertos ao público.

Ao todo serão oito dias de atividades que, além de promover um momento de reflexão e qualificação para os artistas de circo, também comemoram os 15 anos do espetáculo Tholl - Imagem e sonho. Este ano o evento cresceu e levará apresentações ao Balneário dos Prazeres e oficina com o acrobata professor da Escola Nacional de Circo, Alexandre Souto, conta o organizador do festival, Fábio Marques.

Com artistas vindos de estados como São Paulo e Santa Catarina e de diferentes cidades gaúchas, o Festival terá nos três primeiros dias (sexta, sábado e domingo) o tradicional Cabaré Tholl, mostra competitiva de performances artísticas. A ação ocorrerá sempre às 20h30min, com avaliação de júri especializado e distribuição de R$ 1 mil em prêmios e troféu Nariz de Palhaço.

O Cabaré é uma das poucas atividades que terá cobrança de ingresso ao público. A entrada custa R$ 10,00 por noite ou R$ 5,00 mais um quilo de alimento não perecível. Após a mostra competitiva o dia será encerrado com evento de música e gastronomia com a presença de food trucks, a partir das 22h, no Centro de Treinamento Tholl, rua Garibaldi, 630.

Na rua
O Festival de Circo levará ao público de Pelotas apresentações gratuitas na Mostra Mambembe, que ocorrerá às 15h30min em diferentes locais da cidade. Amanhã, primeiro dia da mostra, o palco será o Mercado Central, com o espetáculo Homem Banda, do projeto Graça na Praça, da companhia porto-alegrense Cia1Péde2.

No domingo, às 15h30min, a Cia de Palhaças, de Caxias do Sul, estará na esplanada em frente ao Sete de Abril, e na segunda-feira, às 17h, o grupo Tabarin, de Alvorada, fará apresentação na Escola Municipal Luiz Augusto Assumpção, no Balneário dos Prazeres.

Na quarta-feira, dia 15, o Mercado Central voltará a ser palco de atividades artísticas, das 14h às 16h. Das 17h às 19h, as apresentações migrarão para o Theatro Guarany, onde às 19h30min será apresentado o espetáculo aniversariante Tholl - Imagem e sonho. O ingresso poderá ser trocado por um quilo de alimento não perecível, no Centro de Treinamento Tholl, a partir de amanhã, às 14h. Cada pessoa poderá levar no máximo dois convites. A programação completa pode ser acessada na fanpage do Festival, no Facebook.

Trajetória
Em 2002 o Tholl - Imagem e sonho trazia luzes para o trabalho desenvolvido pelo Oficina Permanente de Técnica Circense (OPTC), dirigido por João Bachilli. Nestes 15 anos de trajetória o espetáculo se firmou como um sucesso tão grande que passou a denominar o grupo pelotense. “O Tholl está firme, forte e pensando nos próximos 15”, diz o diretor.

Do grupo amador que estreou o Tholl hoje pouco resta. Atualmente, com um trabalho profissional na área e um centro de treinamento equipado, o grupo é referência em circo no país e tem mais espetáculos rodando com elencos diferentes. “A cara do grupo mudou muito, são profissionais que encaram como um trabalho, mas sem perder o foco na qualidade.”

Planos para o futuro não faltam, recentemente o Centro recebeu dois containers que abrigarão um mini teatro e uma biblioteca para a comunidade. Nos últimos anos o grupo tem superado a crise econômica com criatividade. “Muitos grupos que tinham grandes patrocinadores não conseguiram sobreviver. Talvez, para nossa sorte, a gente sempre teve de viver com muito trabalho.”

Até dezembro, o grupo estará com um projeto Tholl 15 mais 15 de financiamento coletivo para fazer consertos e adquirir novos equipamentos. Quem estiver interessado em ajudar basta ir até o site www.vakinha.com.br. “O mais difícil é conseguir apoio, especialmente para a manutenção dos equipamentos”, fala Bachilli.

Serviço:
O quê - 2º Festival de Circo de Pelotas

Quando - A partir desta sexta-feira (10), às 18h, até dia 17 deste mês

Informações - (53) 98134-4274


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados