Dinheiro

Comprar ou alugar?

O uso temporário de veículos no lugar de aquisições para a frota tem sido uma prática adotada pela prefeitura; a justificativa é de que o aluguel gera menos custo aos cofres públicos

09 de Novembro de 2017 - 07h44 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Menos frota própria, mais carros alugados. Esta tem sido a prática adotada pela prefeitura. Ao invés de comprar veículos zero quilômetro e incorporá-los aos 282 já existentes no patrimônio do município para rodar por tempo indeterminado, a administração tem optado por firmar contratos de uso temporário. Somente em 2017 já foram assinados quatro contratos de locação, totalizando um valor de R$ 254.729,00.

Ao todo, a prefeitura alugou 12 automóveis para uso das secretarias de Saúde (SMS) e de Desenvolvimento Rural (SDR). Nove deles são modelos populares voltados ao uso diário no transporte de agentes dos programas Estratégia Saúde da Família (ESF) ou para fiscalização de abatedouros e agroindústrias. Outros três são de maior porte: um furgão também para atendimento básico de saúde, uma van dedicada às ações com mão de obra prisional e um utilitário (SUV) para supervisão de intervenções em pontes e estradas da zona rural.

Apesar da inegável utilidade dos veículos, a grande quantidade de contratos de locação em 2017 chama a atenção. Sobretudo porque, de acordo com dados divulgados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), apenas um negócio do tipo havia sido feito desde o final de 2015, destinado à pasta de Justiça Social e Segurança. O mais recente aluguel foi firmado há um mês: para que a SDR utilize por um ano dois carros populares e uma SUV serão desembolsados R$ 82,3 mil.

Conforme Jair Seidel, responsável pela pasta, o aluguel dos veículos sai mais em conta, já que cada um acaba custando R$ 75,00 por dia aos cofres públicos, abaixo do que seria cobrado normalmente no mercado. O secretário sustenta que se os automóveis fossem comprados, o município teria que contar com a verba integral para a aquisição e ainda arcar com manutenção, IPVA e seguro, além de lidar com a depreciação ao longo do tempo.

É um bom negócio, diz economista
Professor do curso de especialização em Controladoria e Finanças, da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), o economista Ezequiel Megiato diz que há uma tendência das prefeituras em alugar veículos, seguindo o exemplo adotado por empresas. "A troca ou conserto de um carro locado são mais ágeis, pois são responsabilidade da locadora, conforme o contrato. Já se for de um ente público é preciso licitar e alocar recursos específicos, caso contrário o gestor pode ser acusado de improbidade administrativa. Economicamente é mais viável alugar, pois elimina a burocracia", avalia.

Apesar disso, em alguns casos o bom negócio não se confirma. Para que a atual Secretaria de Assistência Social (SAS) rodasse com quatro carros populares durante um ano, a prefeitura gastou R$ 205,6 mil. Em janeiro, encerrado o período do acordo, o município pagou outros R$ 157,9 mil, desta vez para adquirir veículos novos em substituição aos alugados. Somando, o custo dos automóveis nestes dois anos é de R$ 363,5 mil. Ou R$ 90.875,00 cada um. O suficiente para comprar e pagar IPVA e seguro de dez Fiat Mobi 1.0 ou, ainda, oito Chevrolet Onix 1.0, veículos mais baratos da categoria com ar-condicionado e direção elétrica ou hidráulica, exigidos pela prefeitura.

"Assim que assumi a secretaria acabei com os aluguéis. Tenho certeza de que sai bem mais barato ter o veículo. Ainda mais levando em conta que adquirimos com recursos federais do Fundo Nacional de Assistência Social", afirma o secretário Luiz Eduardo Longaray.

Aluguéis x Aquisições
Confira a comparação entre os contratos de locações mais recentes em relação a compras de automóveis. Valores médios baseados em pesquisa de mercado, podendo ser menores à medida em que licitações para prefeituras possuem concorrência e concessionárias oferecem descontos que podem chegar a até 15%.

- Dois carros 1.0 para a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), usados na inspeção de abatedouros e agroindústrias. Valor: R$ 47.340,00 (R$ 23.670,00 por veículo).

O que dá para fazer com o dinheiro?
Com o aluguel por 12 meses seria possível comprar o carro mais barato da cotação abaixo e ainda sobraria R$ 11.014,00, suficiente para alugar outro carro por pelo menos quatro meses ou até pagar 30% de outro igual (com IPVA e seguro).

Fiat Mobi Like 1.0 - R$ 34.200,00 + R$ 1.026,00 de IPVA + R$ 1.100,00 de seguro = R$ 36.326,00
Chevrolet Onix 1.0 - R$ 41.990,00 + R$ 1.260,00 de IPVA + R$ 1.900,00 de seguro = R$ 46.050,00

- Um utilitário esportivo (SUV) para a SDR, usado na supervisão de obras de pontes e estradas da zona rural. Valor: R$ 34,990 mil.

O que dá para fazer com o dinheiro?
Com o aluguel por 12 meses seria possível pagar 46% de uma SUV. Ou seja, em pouco mais de dois anos ela estaria paga.

Renault Duster Expression - R$ 69.640,00 + R$ 2.090,00 de IPVA + R$ 3.900,00 de seguro = R$ 75.630,00
Peugeot 2008 - R$ 72.990,00 + R$ 2.190,00 de IPVA + R$ 3.900,00 de seguro = R$ 79.080,00


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados