Futebol

Histórias diferentes, objetivo idêntico

Guarany e Marau começam a decidir nesta quarta-feira quem sobe para a Série A2 de 2016; jogo de ida acontece no estádio Estrela D'Alva, em Bagé

30 de Novembro de -0001 - 00h00 Corrigir A + A -

A quarta-feira (15) será de futebol na Rainha da Fronteira. E muito futebol! O Guarany Futebol Clube recebe em Bagé, no estádio Estrela D'Alva, a equipe do Futebol Clube Marau. O confronto marca a primeira partida da grande final da terceira divisão gaúcha.

O jogo reúne duas equipes de passado vitorioso, mas com histórias bem diferentes. O alvirrubro bajeense é a única equipe bicampeã estadual desde que a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) - fundada em 1918 - instituiu o Campeonato Gaúcho*. O Índio levantou o caneco em 1920 e 1938.

Além das conquistas na divisão principal, o clube tem também dois títulos da Segundona (1969 e 2006) e ainda um da Terceirona, em 1999. É do Guarany também o maior número de títulos citadinos em Bagé. São 28 contra 23 do rival, Grêmio Bagé, eliminado na semifinal da Terceirona justamente pelo Marau.

Por sua vez, em relação à equipe marauense, quando se fala em "passado vitorioso", o tal passado é "logo ali". Fundado em 2013, o alvirrubro serrano - um dos times mais novos do Rio Grande do Sul - conseguiu o acesso já no primeiro campeonato que disputou: a terceira divisão do mesmo ano. A equipe treinada por Ricardo Atollini, e que tinha Sandro Sotilli no elenco, garantiu a terceira vaga, para a Série A2, subindo junto com Tupi e Nova Prata.

Em 2014, no entanto, o Marau foi rebaixado na última rodada e voltou ao ponto de partida de sua história.

Trajetória
Com apenas uma derrota no princípio do certame, o Guarany avançou à segunda fase do campeonato na vice-liderança do grupo B, atrás apenas do rival Bagé. Foram 15 pontos conquistados em 24 disputados.

Na fase seguinte, a classificação veio de forma dramática. Na última rodada - e no último minuto - o Índio buscou o empate que eliminou o Farroupilha na Boca do Lobo. Mais uma vez o alvirrubro foi o segundo do grupo, e mais uma vez atrás do jalde-negro.

Na semifinal o Guarany empatou por 1 a 1 no Estrela D'Alva com o Palmeirense e precisou buscar o resultado nas Missões. A vitória considerada heroica pelo grupo por 1 a 0, com gol de Flavinho, deu ao Índio o direito de disputar a final.

O Marau fez uma primeira fase um pouco pior. Com 14 pontos conquistados o time da terra do salame ficou na terceira posição, atrás de Gaúcho e Palmeirense.

A segunda fase foi mais uma vez complicada, mas o alvirrubro garantiu a passagem com uma rodada de antecedência ao vencer por 2 a 0 o Gaúcho de Passo Fundo, seu rival regional.

Em dois jogos intensos contra o Bagé, equipe de melhor campanha geral da competição, os marauenses chegaram à final. Sem tremer na base, a jovem equipe alvirrubra venceu por 1 a 0 no estádio Carlos Renato Bebber e segurou um empate sem gols no Pedra Moura, em uma partida inspirada do goleiro Matheus.

Curiosidades
Este será o primeiro confronto da história entre as duas equipes. Sem uma rivalidade histórica, os clubes (e as cidades) mostram que - apesar da importância da partida - é possível haver cordialidade no futebol. O time do Planalto Médio está hospedado em Bagé desde sábado no hotel do presidente do Guarany, Marcos Pizarro.

E não há quem diga que Pizarro não é um mandatário participativo. Sempre presente no Estrela D'Alva, o presidente ajudou até mesmo a fazer o lanche dos atletas na partida disputada contra o Palmeirense, em Palmeira das Missões.

Após o término da semifinal entre Marau e Bagé no domingo, os torcedores do bajeenses aplaudiram a equipe finalista. E mais: os algozes dos jalde-negros foram incentivados a conquistar o título. "Vamos lá! Agora não percam pra eles (Guarany) na final!"

A grande final
O primeiro confronto entre Guarany e Marau começa às 19h30min, no Estrela D'Alva, e será transmitida pela Rádio Clube, de Bagé, e pela Vang FM, de Marau.

O jogo que define o campeão será disputado no domingo, no estádio Carlos Renato Bebber, em Marau.

*Em 2010 a FGF - fundada em 1918 - reconheceu o título do Esporte Clube Pelotas, de 1911.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados